8.5/10
Bill Fay – Countless Branches (2020)

Não é tarde para devolver o músico ao merecido lugar de destaque da prateleira dos grande nomes da cena folk.

8/10
Mac Miller – Circles (2020)

O melhor adjectivo que encontramos para Circles é: acolhedor. As 12 músicas que o incorporam têm um fio condutor e quase se sentem como um abraço daqueles bem apertados.

8.5/10
Daniel Norgren – Wooh Dang (2019)

Wooh Dang é um ninho que nos envolve num estranho conforto.

8/10
Caetano Veloso & Ivan Sacerdote – Caetano Veloso & Ivan Sacerdote (2020)

Ouvir Caetano Veloso & Ivan Sacerdote divide-nos entre a “dor e o prazer”. E assim vivemos enganados durante pouco menos de 40 minutos. É muito pouco, e tanto ao  mesmo tempo!

7/10
Madalena Palmeirim – Right as Rain (2019)

É caso para se dizer “Já estava na hora!”

7/10
Esteves – Esteves (2019)

Tendo como fio condutor a guitarra acústica e a voz de Tiago Esteves, eis Esteves.

7/10
Quadra – Chili (2019)

Os Quadra trazem-nos kraut e boa música instrumental rítmica directamente de Braga, servidos num saboroso Chili

8/10
Chromatics – Closer To Grey (2019)

O último trabalho dos Chromatics tem uma dualidade de constrastes de cores e ambientes que se propaga por todo o disco e nos devolve à realidade com uma aura de um cinzento mais reluzente.

8/10
Bernardo Sassetti – Solo (2019)

O primeiro de uma série de nove discos que serão lançados nos próximos anos.

7.5/10
Afonso Cabral – Morada (2019)

Este é o primeiro disco a solo, mas ao todo participam no álbum quase 20 músicos.

7/10
Michael Kiwanuka – KIWANUKA (2019)

Este é um trabalho intemporal e contemporâneo.

7.5/10
Salvador Sobral – Paris, Lisboa (2019)

Em Paris, Lisboa há música essencialmente estruturada a partir do jazz.

8/10
Gabriel Ferrandini – Volúpias (2019)

O disco a solo de Gabriel Ferrandini é um delicioso passeio por Lisboa velha, de…

8/10
Camané e Mário Laginha – Aqui Está-se Sossegado (2019)

O fado de Camané e o piano de Laginha parecem gémeos que se conhecem umbilicalmente, sabendo nós que são, por natureza, crias de jurisdições tão diferentes.

8.5/10
Little Simz – GREY Area (2019)

Apesar da tenra idade, Little Simz é um nome que se adivinhava marcar o futuro.

8/10
Lour – Change (2019) [EP]

De viola em riste e voz delicada, Lour foi crescendo ao lado do Altamont.

8.5/10
Bruce Springsteen – Western Stars (2019)

Nas treze canções do disco, Bruce é muito menos Roy Orbison e muito mais uma estrela decadente do country.

7/10
Time For T – Galavanting (2019)

Galavanting apura ainda mais a forma dos Time For T, que se superam em canções positivas. É pena que o disco seja curto.