Alexandre Pires
608 Articles0 Comments

Nasci em terras de Vera Cruz, decorria ainda a década de 70. De pequenino me apercebi que estava destinado a grandes feitos e quis desde logo deixar a minha marca, começando por atravessar o Atlântico a nado. Dessa experiência guardo sobretudo água salgada nos ouvidos, água essa que me impediu de dar ouvidos ao meu pai que queria fazer de mim engenheiro. Hoje, quando me perguntam a profissão, não sei o que responder. Tenho vários chapéus que vou usando consoante a ocasião, desde economista proeminente a futebolista de sonho, de crítico de música amador a empreendedor visionário, de tenista de meia tigela a DJ concorrido, de amante cinéfilo a pai dedicado.

Yo La Tengo – I Am Not Afraid Of You And I Will Beat Your Ass (2006)

É sempre um bom dia quando nos debruçamos sobre um belo disco desta bela banda. Acompanhem-me então por este I Am Not Afraid Of You And I Will Beat Your Ass adentro.

“Balance” – Future Islands

Para terminar esta semana em beleza, deixamo-vos uma música dos Future Islands (álbum “On the Water”) que apela à paciência e à resiliência que todos precisamos para enfrentar o regresso à vida.

Cassandra Jenkins – An Overview on Phenomenal Nature (2020)

A delicadeza de An Overview on Phenomenal Nature é transcendental, se a deixarmos entrar pelos nossos poros dentro seremos, garantidamente, pessoas melhores no fim da experiência.

“Consumado” – Arnaldo Antunes e Clã

Numa das mais bem conseguidas conexões Brasil-Portugal, entre os Clã e Arnaldo Antunes sempre houve uma ligação natural.

“Tudo no Amor” – Clã

Mais uma letra de Sérgio Godinho que se fundiu com música escrita por Hélder Gonçalves, é prova provada que o tempo, pura e simplesmente, não passa pela banda.

“O Sopro do Coração” – Clã

“O Sopro do Coração” é um dos pontos altos da carreira dos Clã.

Playlist da Semana: Clã

Vamos entrar a fundo numa das bandas que mais marcaram a cena musical portuguesa do último quarto de século – os Clã.

Magik Markers – 2020 (2020)

Álbum muito difícil de descoser, este 2020 dos Magik Markers, dada a enorme amplitude de espectro contida no mesmo.

Air – Moon Safari (1998)

Com Moon Safari, os Air criaram um universo sonoro imaculado.

Waxahatchee – Saint Cloud (2020)

Saint Cloud é disco que não podia passar incólume perante um 2020 tão incisivo na sua forma de nos revirar as vidas. Começamos por nos desculpar pela demora – este disco, lançado no já tão longíquo mês de Março, esteve…

Cristina Branco – Eva (2020)

Lançado no ano da pandemia, Eva é mais uma prova (como se fosse preciso) de importância de Cristina Branco no panorama da música nacional. Cristina Branco ataca-nos com toda a sua “Delicadeza” durante 35 minutos, não sendo portanto grande “Prova…

“Seven Nation Army” – The White Stripes

Pouco haverá a dizer sobre “Seven Nation Army”, mas ao ouvi-la neste momento tornam-se ainda maior as saudades de a colocar num Bom, Mau e Vilão a abarrotar, sentir o chão literalmente a subir e descer como se estivéssemos num…

“Blue Orchid” – The White Stripes

Horas e horas passadas a tentar tocar esta canção no Guitar Hero fizeram com que a mesma ficasse marcada de forma indeleável no meu cérebro. Mais um riff imbatível cortesia de Mr. White.

“I Just Don’t Know What To Do With Myself” – The White Stripes

Escrita originalmente por Burt Bacharach e tornada famosa na voz de Dusty Springfield, “I Just Don’t Know What To Do With Myself” foi completamente violada por Jack e Meg White com esta versão que fez parte do seu álbum Elephant.…

“Mother Nature’s Son” – The White Stripes

Homenageamos John Lennon, falecido há 40 anos, com esta cover feita por Jack White de uma música retirada do White Album.

The White Stripes – The White Stripes (1999)

A estreia dos White Stripes é puro desbravamento de terreno desconhecido, guitarra na mão servindo de catana e bateria por trás a manter o ritmo de exploração imparável. Nada foi igual, mas só o saberíamos uns anos depois.

“Fell in Love With a Girl” – The White Stripes

Canção de fazer abanar qualquer chão de pista de dança no idos anos 2001/2, marcou também pela criatividade que Michel Gondry lhe incutiu no respectivo teledisco. Bem próximo da veia punk que os Stripes também colocaram nas suas canções, é…

“I Never Talk to Strangers” – Tom Waits

Esta é uma semana de canções realmente estranhas, porque estranhos são os tempos em que vivemos. Fechamos a semana em beleza, com Tom Waits em dueto com Bette Midler, numa deliciosa canção em formato pergunta resposta, diálogo passado num piano…