6/10
Morrissey – I am not a dog on a chain (2020)

Morrissey regressa cheio de energia, mas com um disco desequilibrado e que se perde no…

7/10
Estraca – Dar vida (2020)

Ao terceiro disco, Estraca revela-se um dos mais talentosos MCs da sua geração. O bairro da Cruz Vermelha está prestes a ser demolido mas a sua poesia rude de rua essa já ninguém a de

8/10
Stephen Malkmus – Traditional Techniques (2020)

A eterna voz dos Pavement atira-se finalmente ao álbum acústico, conseguindo um trabalho sereno, bonito…

7/10
Luke Haines & Peter Buck – Beat Poetry For Survivalists (2020)

O ano que todos amaldiçoamos, mesmo assim, tem-nos dado coisas boas.

8.5/10
Cornershop – England Is a Garden (2020)

Com England Is a Garden, os Cornershop voltam a florir como há muito não faziam.

Lina & Raül Refree – Lina_ Raül Refree (2020)

A junção de uma fadista portuguesa e um produtor catalão desconstrói a herança de Amália…

8/10
Monday – Room For All [EP] 2020

Monday regressa com um ep bonito e delicado, como seria de esperar.

6/10
Zanibar Aliens – IV (2020)

Quarto disco em quatro anos para os Zanibar Aliens, que partem do rock zeppeliniano em…

7/10
Wolf Parade – Thin Mind (2020)

Cabe tudo neste Thin Mind, um tudo quase sempre com uma qualidade satisfatória.

7/10
João Granola – Os Moderados (2020)

João Granola, pseudónimo de João Machado, ex-Pintarolas, tem um novo álbum a solo.

7.5/10
King Krule – Man Alive! (2020)

Man Alive! apresenta-nos a um Archy Marshall mais crescido, mais focado, e mais claro das ideias – num álbum que remenda muitos dos pecados de The Ooz e que nos volta a encher de entusiasmo para voltar a escutar King Krule com vontade.

3/10
Maria Reis – Chove na Sala, Água nos Olhos (2019)

Como um penso rápido, é coisa que não demora a arrancar mas deixa uma sensação de desconforto.

9/10
Walter Martin – The World At Night (2020)

Em The World At Night, Walter Martin embala-nos durante dez maravilhosas canções remetendo-nos para uma sonoridade que tem tanto de ingénua como de doce e honesta e brutal, como a vida pode ser.

8/10
Gil Scott-Heron – We’re New Again [A Reimagining by Makaya McCavern] (2020)

Gil Scott-Heron é considerado, por muitos, o primeiro MC da história.

8/10
Tame Impala – The Slow Rush (2020)

O ímpeto rockeiro da adolescência já passou. Os Tame Impala estão a cada disco mais maduros e moderados.

7/10
Filipe Sambado – Revezo (2020)

É um sólido terceiro disco de um dos melhores músicos no panorama nacional.

7.5/10
Julian Cope – Self Civil War (2020)

Self Civil War é um louvável regresso ao formato que o imortalizou.

8/10
Destroyer – Have We Met (2020)

Começamos bem o ano quando Destroyer nos dá música nova.