7.5/10
Durand Jones & The Indications – Private Space (2021)

Os campeões da retro-soul trocam as ruas pelo quarto, com um pezinho no disco sound…

7/10
St Vincent – Daddy’s Home (2021)

Em Daddy’s Home, St. Vincent faz uma homenagem ao pop de inícios de 70, descartando…

7.5/10
Nitin Sawhney – Immigrants (2021)

Nitin Sawhney dá-nos em Immigrants um poderoso e bonito documento sobre o mundo que temos…

8/10
Altin Gün – Yol (2021)

Holandeses e turcos vão do funk ao rock psicadélico, passando pelo disco, num álbum viciante…

7/10
Old Jerusalem – Certain Rivers (2021)

Ao oitavo disco, Old Jerusalem dá-nos um disco despido e plácido, com o habitual conforto…

8/10
Sven Wunder – Natura Morta (2021)

Ao terceiro, o misterioso sueco traz-nos uma delícia retro que nos remete para as bandas…

7/10
Dinosaur Jr – Sweep It Into Space (2021)

Mais um bom disco de uma banda que não mexe na fórmula que já dura há décadas

8/10
Rodrigo Amarante – Drama (2021)

Drama foi gerado sem pressas, clara imagem de marca de Rodrigo Amarante. O disco vem carregado de emoções díspares, onde tristeza e alegria parecem representar a essência das ambiguidades sentimentais do hermano carioca.

8/10
Mãeana – Mãeana 2 (2021)

O segundo rebento de Mãeana chega com a mesma dose de encantamento do seu primeiro momento de maternidade. Resta-nos recebê-lo de braços abertos.

8/10
Salma e Mac – Salma e Mac [EP] (2021)

Salma e Mac servem-nos a refeição perfeita com elevado teor de beleza e muito rica em calorias poéticas.

7.5/10
Marisa Monte – Portas (2021)

Portas, de Marisa Monte, é um trabalho de continuidade, onde melodia, leveza, bom gosto e boas canções são a matéria prima do álbum.

6/10
Alice Phoebe Lou – Glow (2021)

Alice Phoebe Lou transformou um coração partido num manifesto de autoafirmação. Alice Phoebe Lou fugia…

7/10
Kings Of Convenience – Peace Or Love (2021)

Em tudo o que pegam, Erlend Øye e Eirik Glambek Bøe incutem detalhe e pormenor…

8/10
Rui Reininho – 20.000 Éguas Submarinas (2021)

Rui Reininho é um dos nossos grandes heróis. E, ao contrário do célebre verso de Reinaldo Ferreira, este herói serve-se vivo!

8.5/10
black midi – Cavalcade (2021)

Cavalcade é, sem dúvida, um disco mais maduro que Schlagenheim.

8.5/10
Cory Hanson – Pale Horse Rider (2021)

O tom é lento, arrastado, lânguido, com a paisagem a revelar-se sem pressas à nossa frente, sem brusquidão ou violência.

7.5/10
Lambchop – Showtunes (2021)

Acusticidade, eletrónica e experimentalismo. A receita tem, sobretudo, estes ingredientes bem frescos.

7.5/10
A Lake by the Mõõn – Life in Warp (2021)

O primeiro longa-duração do músico das Caldas da Rainha, é um grito de protesto contra os sistemas que, todos os dias, contribuem para a destruição do nosso planeta.