Beach House – Teen Dream (2010)

Canções pop a roçar a perfeição. A melancolia e o torpor de sempre.

8/10
Caetano Veloso & Ivan Sacerdote – Caetano Veloso & Ivan Sacerdote (2020)

Ouvir Caetano Veloso & Ivan Sacerdote divide-nos entre a “dor e o prazer”. E assim vivemos enganados durante pouco menos de 40 minutos. É muito pouco, e tanto ao  mesmo tempo!

7/10
Madalena Palmeirim – Right as Rain (2019)

É caso para se dizer “Já estava na hora!”

Donovan – Sunshine Superman (1966)

Se, no início da carreira, Donovan era visto como a resposta britânica a Bob Dylan, em Sunshine Superman, o músico escocês mostra o seu lado pastoral e psicadélico, distanciando-se definitivamente da sombra do norte americano.

7/10
IAMX – Alive In New Light (2018)

Cheio de detalhe e subtileza, mas também de teatralidade e emoção, este é um óptimo disco para começar a ouvir IAMX.

The Smashing Pumpkings – Mellon Collie and the Infinite Sadness (1995)

O terceiro álbum dos Smashing Pumpking representa o seu auge de capacidade musical e foi o disco certo no momento certo.

Caetano Veloso, Gal Costa e Gilberto Gil – Temporada de Verão (ao vivo na Bahia)

Voltar a Temporada de Verão foi um inesperado e abençoado acontecimento!

Outkast – Stankonia (2000)

Com um pé numa nave espacial e o outro no gueto se faz esta obra-prima do hip-hop: experimental sem esquecer a tradição, sonhadora sem esquecer a rua. Andre 3000 e Big Boi, portanto.

7/10
Esteves – Esteves (2019)

Tendo como fio condutor a guitarra acústica e a voz de Tiago Esteves, eis Esteves.

Bill Callahan – Apocalypse (2011)

70% de Apocalypse é aquela voz trovão que abre montanhas ao meio. Bill não canta, desaba; não fala, interpela; não interpreta, comanda!

8.5/10
Boy Harsher – Careful (2019)

Boy Harsher são uma banda norte-americana algures entre o eletropop e o darkwave minimal. Chegam em 2019 com Careful em perfeito equilíbrio da synth pop.

M.I.A. – Kala (2007)

Tudo é desmedido em Kala: mil tambores festejando a união de todas as tribos, timbres estridentes desafiando os tímpanos, uma voz blasé e insolente com quilos de swag.

7/10
Mulherhomem – Blasférmico (2019)

Mulherhomem regressou em 2019 com Blasférmico, terceiro e último trabalho do trio. Um disco que cresce com cada audição.

7/10
Quadra – Chili (2019)

Os Quadra trazem-nos kraut e boa música instrumental rítmica directamente de Braga, servidos num saboroso Chili

The Flaming Lips – Yoshimi Battles the Pink Robots (2002)

Yoshimi é esse deslumbramento com a beleza de tudo, e a consciência amarga de que tudo perece.

8/10
Chromatics – Closer To Grey (2019)

O último trabalho dos Chromatics tem uma dualidade de constrastes de cores e ambientes que se propaga por todo o disco e nos devolve à realidade com uma aura de um cinzento mais reluzente.

8/10
Bedouine – Bird Songs of a Killjoy (2019)

Azniv Korkejian volta aos discos para nos assombrar com mais uma colecção de músicas tão bonitas que necessitam da nossa total atenção. Em solidão, de preferência.

Vince Guaraldi Trio – A Charlie Brown Christmas (1965)

Esta obra de Guaraldi faz-nos voltar a sentir aquele que achamos ter perdido para sempre.