Filipe Garcia
63 Articles0 Comentários

Bicho de letras e de muitas ondas sonoras, cresci convencido que quanto mais pesado melhor era o rock, mas descobri a luz quando me apresentaram o Jazz e os blues. O indie é dispensável, as doses de rock não.

Led Zeppelin – BBC Sessions (1997)

Um condensado testemunho da caminhada dos Zeppelin, monumento ao rock, às guitarras e aos excessos, uma ostensiva exibição de génio.

“Sendo Assim” – Sam The Kid

Em “Sendo Assim”, dispensa ajuda e assina a melhor melhor música do disco.

“The Heathen” – Bob Marley

Em época de coletes amarelos, o momento é bom para lembrar uma das histórias mais famosas dos embrulhos entre música e política.

“Rappers Delight” – The Sugarhill Gang

Em 1979, “Rappers Delight” nem foi a primeira música em que o mundo ouviu rap, mas foi a primeira a que prestou atenção.

“These Boots” – Megadeth

Às vezes, a música pode ser só uma piada.

Prince – Piano & a Microphone 1983 (2018)

Se a exploração dos arquivos dos heróis caídos da música raramente traz grandes surpresas, no caso de Prince sempre se disse que o melhor estava por mostrar.

“While my Guitar Gently Weeps” – Prince e mortais

Prince e um daqueles solos que deixa a pensar.

“Come Back Muddy” – Buddy Guy

Buddy Guy comprometeu-se a nunca parar de tocar.

Playlist da semana: As guitarras e o Jazz

Uma playlist dedicada aos mestres das seis (ou mais) cordas.

“Keep your Worries” – Guru

Do resultado da experiência Jazzmatazz ainda estamos a colher os frutos.

“Lucille” – B.B. King

Para a história ficaram os blues, para a lenda o momento em que a Gibson passou a ter nome próprio, para nós ficou a responsabilidade de lhe agradecer.

Ben Harper & Charlie Musselwhite || Aula Magna

Ben Harper recuperou o seu mojo. Que se deixe ficar pelos blues, pelas salas pequenas e que não nos deixe de visitar.

Jack White – Boarding House Reach (2018)

Nem sempre é preciso perceber tudo para se concluir que estamos perante um grande disco e, seguramente, o mais elaborado trabalho de quem já se mostrou capaz de conquistar o mundo com um riff de uma corda só. Boarding House Reach é mesmo de ouvir.

Machine Head || Coliseu dos Recreios

Manual de sobrevivência. Uma noite com os Machine Head.

“For What is Worth” – Liam Gallagher

Em ano de estreia a solo, Liam Gallagher voltou a colecionar elogios, voltou a brilhar com canções como só ele – por mais que isso custe ao mano Noel – sabe fazer. Tínhamos saudades.

“Believe” – Benjamin Booker

Ao rock, aos blues, juntou a soul e uma assinatura gravada em grandes canções. “Believe” torna tudo evidente.

Orelha Negra – Orelha Negra (2017)

Ao terceiro disco, os Orelha Negra afastaram-se dos loops orelhudos, fáceis, cirurgicamente desenhados para a rádio, para fazer dançar. Sem nunca passarem a fronteira para a música avessa ao circuito comercial, arriscaram e, sem grande surpresa, voltaram a ganhar.