8/10
Chromatics – Closer To Grey (2019)

O último trabalho dos Chromatics tem uma dualidade de constrastes de cores e ambientes que se propaga por todo o disco e nos devolve à realidade com uma aura de um cinzento mais reluzente.

8/10
Bedouine – Bird Songs of a Killjoy (2019)

Azniv Korkejian volta aos discos para nos assombrar com mais uma colecção de músicas tão bonitas que necessitam da nossa total atenção. Em solidão, de preferência.

Vince Guaraldi Trio – A Charlie Brown Christmas (1965)

Esta obra de Guaraldi faz-nos voltar a sentir aquele que achamos ter perdido para sempre.

8/10
Bernardo Sassetti – Solo (2019)

O primeiro de uma série de nove discos que serão lançados nos próximos anos.

7.5/10
Afonso Cabral – Morada (2019)

Este é o primeiro disco a solo, mas ao todo participam no álbum quase 20 músicos.

7/10
Michael Kiwanuka – KIWANUKA (2019)

Este é um trabalho intemporal e contemporâneo.

7.5/10
Salvador Sobral – Paris, Lisboa (2019)

Em Paris, Lisboa há música essencialmente estruturada a partir do jazz.

8/10
Gabriel Ferrandini – Volúpias (2019)

O disco a solo de Gabriel Ferrandini é um delicioso passeio por Lisboa velha, de…

The Avalanches – Since I Left You (2000)

Since I Left You é leve e eufórico, quase sem gravidade. Como se nos dissesse: liberta-te do peso do passado, abandona-te ao êxtase da viagem.

8/10
Camané e Mário Laginha – Aqui Está-se Sossegado (2019)

O fado de Camané e o piano de Laginha parecem gémeos que se conhecem umbilicalmente, sabendo nós que são, por natureza, crias de jurisdições tão diferentes.

8.5/10
Little Simz – GREY Area (2019)

Apesar da tenra idade, Little Simz é um nome que se adivinhava marcar o futuro.

8.5/10
Jake Xerxes Fussell – Out of Sight (2019)

Jake Xerxes Fussell é um folclorista e guitarrista de blues natural de Georgia.

8/10
Lour – Change (2019) [EP]

De viola em riste e voz delicada, Lour foi crescendo ao lado do Altamont.

8.5/10
Bruce Springsteen – Western Stars (2019)

Nas treze canções do disco, Bruce é muito menos Roy Orbison e muito mais uma estrela decadente do country.

Tracy Chapman – Tracy Chapman (1988)

Que lugar para Tracy Chapman, olhando para 1988 e para 2019?

Grateful Dead – Live/Dead (1969)

O documento definitivo da era psicadélica dos Grateful Dead e um dos melhores discos ao vivo dos anos sessenta.

Crosby, Stills & Nash – Crosby, Stills & Nash (1969)

O feliz e frutoso casamento da folk e do rock tem no disco de estreia dos Crosby, Stills & Nash um dos seus momentos mais altos

The Flying Burrito Brothers – The Gilded Palace of Sin (1969)

O álbum-manifesto que inventou o country rock.