Duarte Pinto Coelho
279 Articles0 Comentários

Nascido a 28-12-1892, desde tenra idade se foi cultivando em mim o interesse pelas culturas indígenas de África. Aos 10 anos, acompanhei o meu pai numa expedição à Rodésia, onde pude contactar de perto com as tribos autóctones. Aprendi as suas maneiras, a sua relação com a divindade, o canibalismo ocasional para matar a fome, e o papel da música na preparação das batalhas. A minha pesquisa durou alguns anos, até ser atacado por uma tribo de mulheres carnívoras, que me deixaram sem uma perna, com várias cicatrizes e pouca vontade de continuar naquele continente. A adolescência e início de idade adulta foram passadas em comboios, visitando grande parte dos países do Médio Oriente e Ásia, dedicando os meus dias à fotografia de ambientes. Breves incursões pelos mundos da culinária e botânica, trouxeram-me aos dias de hoje, em que a maior parte do meu tempo se destina ao estudo e tratamento de animais raros das florestas tropicais. No meio disto, há sempre em som ambiente a Música, a tocar baixinho em gira discos, e a marcar o compasso das batidas cardíacas.

Karen O + Danger Mouse – Lux Prima (2019)

Um disco cheio de espaço – entre as notas cabem mil respirações – e cheio de Espaço – pode ser visto como um dia completo, que começa e acaba na madrugada, mas pode ser igualmente uma volta completa ao sol.

Sharon Van Etten – Remind Me Tomorrow (2019)

Remind Me Tomorrow não é, certamente, o melhor álbum de Sharon Van Etten mas é um disco bastante sólido, com algumas canções exímias e que revela a coragem de mudar. Saudemos isso.

Wilko Johnson: um carrasco do rock n’ roll

“Quando te dizem que vais morrer em breve… isso é óptimo para fazer rock’n’roll”.

Richard Swift – The Hex (2018)

Richard Swift é um génio do nosso tempo. Provavelmente, à frente do nosso tempo, que só será devidamente reconhecido daqui a vários anos. Pena, se isso acontecer, ainda assim, será sempre reconhecimento merecido.

O que esperar de 2019? Discos e concertos que não queremos perder

Tudo alinhado para um 2019 forte em edições.

Glockenwise – Plástico (2018)

Em suma, estamos perante um dos mais belos discos desta geração do rock nacional desta geração.

“HZLWD” – Richard Swift

É difícil ouvir The Hex de olhos enxutos. O disco saiu cerca de 3 meses depois da morte de Richard Swift, uma das grandes mentes musicais do nosso tempo. Produtor, compositor, multi-instrumentista, realizador nas horas vagas e boémio incurável – ao ponto…

“I’m Your Man” – Spiritualized

Ao longo desta semana –  primeira do último trimestre – as canções do dia e a playlist fazem uma espécie de triagem dos nove meses de 2018. Com centenas de discos editados, há alguns que se perdem, outros que vão…

“Straight Shot” – DeVotchKa

Canção do dia para assobiar ao longo do mesmo.

Playlist da Semana: Volta a Portugal em 9 meses

Muita e boa música portuguesa, lançada em 2018.

“Dig, Lazarus, Dig!!!” – Nick Cave & The Bad Seeds

para acabar a semana em beleza, o padroeiro Nick Cave, que em Março de 2008 editava o 14º álbum de estúdio com os Bad Seeds, Dig, Lazarus, Dig!!!

“Gila” – Beach House

Devotion é a antecâmara do culto desta pop sonhadora assente em feitiços de guitarra e sintetizadores, da qual “Gila” faz parte.

“A-Punk” – Vampire Weekend

O ano de 2008 começou com uma pedrada no charco. Os Vampire Weekend lançaram o primeiro disco logo em Janeiro e abriram as portas a uma nova mescla – numa altura em que o indie-rock estava a fazer o desmame…

“Halfway Home” – TV On The Radio

Em Setembro de 2008 chegava-nos às mãos o terceiro disco dos TV On The Radio. Com Dear Science a banda deu um salto de gigante, depois de dois discos mais experimentais e com mais altos e baixos, os TVOTR apresentavam neste…

“White Winter Hymnal” – Fleet Foxes

Ao longo desta semana vamos fazer um exercício de memória e nostalgia. As cinco canções do dia são retiradas de álbuns lançados há 10 anos, que se mantém como clássicos do século XXI. A abrir a semana, o estrondoso disco…

Playlist da Semana: 2018 vai bem

Esta selecção é apenas uma sugestão, não exaustiva, para não perdermos o rasto dos álbuns que vão saindo.

“Up All Night” – Beck

Esta foi uma das primeiras músicas que Beck mostrou do novo álbum, Colors, que sai já na sexta-feira. Se o anterior Morning Phase – bonito mas por vezes secante, vencedor de um Grammy – era o sucessor directo de Sea Change, é relativamente seguro…

“Wednesday Morning Atonement” – Curtis Harding

Canção do Dia: “Wednesday Morning Atonement” – Curtis Harding