Duarte Pinto Coelho
292 Articles0 Comentários

Nascido a 28-12-1892, desde tenra idade se foi cultivando em mim o interesse pelas culturas indígenas de África. Aos 10 anos, acompanhei o meu pai numa expedição à Rodésia, onde pude contactar de perto com as tribos autóctones. Aprendi as suas maneiras, a sua relação com a divindade, o canibalismo ocasional para matar a fome, e o papel da música na preparação das batalhas. A minha pesquisa durou alguns anos, até ser atacado por uma tribo de mulheres carnívoras, que me deixaram sem uma perna, com várias cicatrizes e pouca vontade de continuar naquele continente. A adolescência e início de idade adulta foram passadas em comboios, visitando grande parte dos países do Médio Oriente e Ásia, dedicando os meus dias à fotografia de ambientes. Breves incursões pelos mundos da culinária e botânica, trouxeram-me aos dias de hoje, em que a maior parte do meu tempo se destina ao estudo e tratamento de animais raros das florestas tropicais. No meio disto, há sempre em som ambiente a Música, a tocar baixinho em gira discos, e a marcar o compasso das batidas cardíacas.

“Once Around the Block” – Badly Drawn Boy

Sempre de gorro, Badly Drawn Boy foi ponta de lança da música independente em Inglaterra na viragem para o século XXI.

“Passo a Passo” – Joao Coração

Vasculhando os recantos da nossa memória recente, esta semana estamos a recuperar bandas e artistas de quem já não ouvimos novidades há demasiado tempo. O convidado de hoje é provavelmente o mais elegante de uma geração da cantores e compositores…

“Charity Fucker” – Stowaways

Esta semana, dedicamos as canções do dia e a playlist a algumas bandas que desapareceram dos nossos radares mas das quais temos saudades. O caso de hoje são os Stowaways, banda de Matosinhos nascida no virar do milénio, vencedora do…

Playlist da Semana: Semi-Perdidos

Olhamos para algumas bandas que estão, por várias razões, umas mais outras menos, desaparecidas.

“Adeus Europa” – Corsage

O que será feito dos Corsage? Excelente banda pop-rock independente, lançou dois óptimos discos mas já não se los ouve desde 2012. E é pena. Letras de humor mordaz, melodias viciantes, uma leveza que faz sempre bem à alma. Para…

“O Velho e o Moço” – Los Hermanos

Uma canção para ouvir todos os dias.

Los Hermanos – Los Hermanos (1999)

Ska-punk abrasivo, corações partidos, compositores de excelência. Assim se faz a estreia dos Los Hermanos.

Vampire Weekend – Father of the Bride (2019)

A banda está descaradamente mais pop, tem mais guitarras acústicas, vai ao country e a Bollywood, não é o disco que a maioria dos fãs esperava, mas é incrivelmente melodioso e inequivocamente Vampire Weekend.

Cage The Elephant – Social Cues (2019)

Dêmos graças por, em 2019, ainda haver bandas como os Cage The Elephant que estão cá, se não for por mais nada, é para nos salvar à guitarrada.

“No Halo” – Kevin Morby

Morby passou do baixista dos Woods para um cantautor de corpo inteiro.

“Sanity” – Nick Murphy

Quando apareceu, ainda sob o nome Chet Faker, causou estrondo. É verdade que o seu primeiro hit era uma versão, mas uma versão muito bem feita de “No Diggity”, dos Blackstreet. Começou a carreira com grande hype, esgotou concertos e o…

“Planet B” – King Gizzard & The Lizard Wizard

Nada melhor que celebrar o 1º de Maio com uma das bandas mais trabalhadoras dos nossos dias. Os australianos King Gizzard & The Lizard Wizard lançaram há dias o 14º disco de uma carreira com pouco mais de 7 anos.…

“The Barrel” – Aldous Harding

Bela canção de Designer, novo disco de Aldous Harding.

“Tastes Good With the Money” – Fat White Family

Uma das bandas mais interessantes a surgir em Inglaterra nos últimos anos, os Fat White Family são um salutar exemplo do espírito rock – o verdadeiro, com drogas e sexo e exagero – numa altura em que cada vez mais…

Karen O + Danger Mouse – Lux Prima (2019)

Um disco cheio de espaço – entre as notas cabem mil respirações – e cheio de Espaço – pode ser visto como um dia completo, que começa e acaba na madrugada, mas pode ser igualmente uma volta completa ao sol.

Sharon Van Etten – Remind Me Tomorrow (2019)

Remind Me Tomorrow não é, certamente, o melhor álbum de Sharon Van Etten mas é um disco bastante sólido, com algumas canções exímias e que revela a coragem de mudar. Saudemos isso.

Wilko Johnson: um carrasco do rock n’ roll

“Quando te dizem que vais morrer em breve… isso é óptimo para fazer rock’n’roll”.

Richard Swift – The Hex (2018)

Richard Swift é um génio do nosso tempo. Provavelmente, à frente do nosso tempo, que só será devidamente reconhecido daqui a vários anos. Pena, se isso acontecer, ainda assim, será sempre reconhecimento merecido.