Pedro Primo Figueiredo
260 Articles0 Comments

Jornalista de política na vida real, melómano e escriba musical num cenário de sonho. 35 anos vividos entre Massamá, Bruxelas, Lisboa e Ponta Delgada, benfiquista de coração, devoto de Suede e permanentemente à procura da vertigem da novidade, sempre alicerçada em bons ensinamentos do passado - na vida e na música.

Placebo – Never Let Me Go (2022)

O que têm os Placebo, referência do mundo alternativo dos anos 1990, a oferecer em 2022? Os devotos continuarão fiéis, embora o culto não tenha objeto de grande valor para contemplar; quanto aos não crentes, ainda não é desta que…

The Smile – A Light for Attracting Attention (2022)

O pior que se pode dizer sobre A Light for Attracting Attention é que podia ser perfeitamente um disco de Radiohead. O melhor…é que podia ser perfeitamente um disco de Radiohead. Os The Smile juntam Thom Yorke e Johnny Greenwood,…

Beach House – Once Twice Melody (2022)

Longe, muito longe, de ser um falhanço, Once Twice Melody não encontra os Beach House na sua melhor forma. Continua a haver grandes canções, uma estética muito própria, e, a espaços, um belíssimo disco apenas traído pela sua dimensão, que…

Warpaint – Radiate Like This (2022)

Da Califórnia para o Mundo, as Warpaint continuam em 2022 uma banda difícil de catalogar. Os méritos, felizmente, continuam cá todos – alguns até aperfeiçoados. Radiate Like This é o quarto disco desta invulgar e muito prazerosa banda.

“Território Justo” – Os Golpes

Quase bastava o bigode do baixista para o conjunto musical Os Golpes fixar residência entre os fundamentais do rock português deste milénio. Felizmente, há mais: canções enormes como “Território Justo”, a puxar à anca, a fazer lembrar muitas coisas, certo,…

“Araçá Azul” – Caetano Veloso

Um minuto e vinte de canção, de grande canção. “Araçá Azul” fecha o quinto álbum de originais de Caetano Veloso, com o mesmo nome, e é um portento de beleza que merece contemplação e repetição.

“I Can See a Liar” – Oasis

Standing on the Shoulder of Giants (SOTSOG) pode ser divisivo e ser um momento em que a carreira dos Oasis se parte – antes, a glória do auge britpop, depois o consolidar, ainda grandes canções, mas menos a banda de…

“Never Stops” – Deerhunter

São inquestionavelmente uma das mais previsíveis bandas do indie rock deste milénio. Previsíveis no melhor dos sentidos: daqui sai sempre música de qualidade, intempestiva por vezes, mais delicodoce noutros momentos, mas sempre com identidade e músculo. São um fetiche de…

“The Mainline Song” – Spiritualized

O anterior disco de Jason Pierce e comparsas foi, em 2018, álbum do ano para o Altamont. Quatro anos depois, e dadas as amostras já conhecidas, há francas hipóteses de novo triunfo. “The Mainline Song”, fresquíssima, é facilmente entendível como…

Playlist da Semana: Trabalho de equipa

Há pancadas melómanas gerais, nomes consensuais, figuras de proa. Ainda agora o Altamont teve Zeca Afonso em destaque, por exemplo. Mas, para a playlist da semana, optou o responsável pela mesma de recorrer à memória de anos de conversas para,…

Sonic Youth – Murray St. (2002)

Murray Street é um disco perfeito no equilíbrio entre devaneios sónicos e canções mais lineares e imediatas. É um dos grandes trabalhos dos Sonic Youth. Equilibrando na perfeição o sal com o açúcar, Murray St. foi o álbum que os…

Sonic Youth – A Thousand Leaves (1998)

Ao décimo disco, em 1998, os Sonic Youth dificultaram a empreitada. Lançado em paralelo com alguns EPs mais experimentais, A Thousand Leaves tem muitos rebuçados para os devotos mas está longe de ser um disco fácil para os incautos. “Sunday”,…

LCD Soundsystem – LCD Soundsystem (2005)

A estreia dos LCD Soundsystem, projeto do mago James Murphy, é um portentoso trabalho que, felizmente, não foi ocasional tiro certeiro.

The Killers – Hot Fuss (2004)

Com Hot Fuss, os Killers apresentaram os seus sintetizadores ao mundo – e começaram uma história de sucesso e de fim aparentemente ainda distante.

“Brick Shithouse” – Placebo

E quando os Placebo foram a melhor banda do mundo? Ok, talvez haja aqui algum exagero, mas ali no virar do milénio Brian Molko e comparsas estavam em pleno ponto de rebuçado. Aqui estão eles, em registo furioso.

“It Won’t Always Be Like This” – Inhaler

Canção luminosa, feliz, nova. Os Inhaler são uma das boas estreias de 2021, e o tema que dá nome ao álbum de estreia do grupo, e que hoje aqui apresentamos, é momento maior da criação alternativa dos últimos tempos. E…

“Losing My Edge” – LCD Soundsystem

Algures entre a música de dança e o punk, lembra muitas coisas ao mesmo tempo que é inquestionavelmente única.