“Norwegian Wood (This Bird Has Flown)” – The Beatles

O ponto de viragem na escrita de canções da dupla Lennon-McCartney.

Paul McCartney – McCartney (1970)

Paul McCartney procura a sua identidade a solo como músico.

Oasis – Standing On The Shoulder Of Giants (2000)

No virar do milénio, os Oasis mudam o logo da banda, perdem mais dois membros fundadores, Noel afasta-se das drogas e Liam escreve a sua primeira música. O disco, regado a psicadelismo, marca, de certa forma, o fim da Britpop e da relevância da banda no panorama musical.

Donovan – Sunshine Superman (1966)

Se, no início da carreira, Donovan era visto como a resposta britânica a Bob Dylan, em Sunshine Superman, o músico escocês mostra o seu lado pastoral e psicadélico, distanciando-se definitivamente da sombra do norte americano.

Wilco – Yankee Hotel Foxtrot (2002)

Nunca a beleza pop e a estranheza experimental casaram tão bem.

The Beatles – Abbey Road (1969)

Após a turbulência das gravações de Get Back/Let It Be, os Beatles voltam aos seus estúdios preferidos para gravar aquele que seria o seu último disco de originais. Abbey Road é, certamente, o melhor último disco de qualquer banda. A proeza só poderia estar a cabo dos quatro fantásticos de Liverpool.

“Ob-la-di, Ob-la-da” – The Beatles

Com a sua desesperada leveza, a sua letra divertidamente disparatada e a sua sonoridade compacta, o tema era o mais comercial do Álbum Branco, mesmo para os padrões estupidamente altos de McCartney.

“Piggies” – The Beatles

A misantropia escondida em muita espiritualidade está bem patente nesta sátira de Harrison à sociedade dominante.

“Sexy Sadie” – The Beatles

Com o seu eco no piano, as suas vozes hipnóticas, e a guitarra repetindo a melodia da voz, tudo nesta canção é sabiamente desassossegado.

“Octopus’s Garden” – The Beatles

Com o seu divertido solo de guitarra, e a voz bonacheirona e despretensiosa de Ringo, quase nem reparamos no facto de o tema ser uma espécie de “Yellow Submarine” dos pequeninos.

“I’m So Tired” – The Beatles

Escrita por Lennon na Índia, numa noite de insónia causada por excesso de meditação, e ampliada pelas ansiedades em relação ao seu casamento.

The Claypool Lennon Delirium – South of Reality (2019)

South of Reality é um instante de exaltação do espírito, uma alucinação sonora, um entusiasmo pulsante e intenso.

Os olhos nas linhas de Steve Gunn

Foram duas, as vezes que o muito amável e respeitável Steve Gunn falou com o Made of Things/Altamont sobre o disco “Eyes on the Lines”. Com o lançamento recente do novo disco The Unseen in Between, relembramos o disco anterior…

Milton Nascimento / Lô Borges – Clube da Esquina (1972)

De todo o património da música brasileira, Clube Da Esquina é incontestavelmente um dos trabalhos mais reconhecidos, fruto de uma geração e de um tempo próprio. Há projetos que constituem autênticos «antes e depois», tamanha é a revolução que provocam…

The Beatles – Yellow Submarine (1969)

A banda sonora de Yellow Submarine, só lançada no ano seguinte, é uma mistura de grandes êxitos psicadélicos e arranjos orquestrais de George Martin. A banda, essa, já estava bem longe da beleza e tranquilidade de Pepperland…

The Kinks – Are The Village Green Preservation Society (1968)

Os Kinks num registo em que, podemos afirmá-lo, a transcendência supera a imanência.

“Blackbird” – The Beatles

Cinquenta anos e nem uma ruga tem esta “Blackbird”.

The Beatles – The Beatles [White Album] (1968)

O white album não é só um grande clássico cheio de canções imortais. É o cânone a partir do qual todos os álbuns-duplos são medidos.