Vem Aí Festival: NOS Alive 2019

O NOS Alive está de volta. Os The Cure serão a banda mais sonante, mas nós deixamos-lhe aqui muitas e boas sugestões.

The Cure – Seventeen Seconds (1980)

Seventeen Seconds é um álbum marcante na carreira dos The Cure. Pelos desenhos sonoros traçados a cinza e pela qualidade poética dos textos cantados, tem um encanto bastante particular. Uma floresta onde entramos para nos perdermos deliciosamente!

“Friday I’m In Love” – The Cure

“Friday I’m In Love” irá, para sempre, dividir gostos mas a sua qualidade é inatacável.

The Cure – Three Imaginary Boys (1979)

Em 1979, uns muitos jovens The Cure estreavam-se em disco com Three Imaginary Boys, um petardo pós-punk ainda à procura do som que os tornaria grandes, nos álbuns seguintes.

“A Forest” – The Cure

“Into the trees / Into the trees”, sempre.

Playlist da semana: A Cure For Altamont

Uma cura para uma história de vida. Os Cure regressam a Portugal a 11 de Julho e o Altamont faz uma retrospectiva da sua carreira.

The Cure tocam a 11 de Julho no próximo NOS Alive

Banda inglesa é o primeiro cabeça de cartaz confirmado para o NOS Alive 2019

“Closedown” – The Cure

Disintegration é o disco da vida de muitos e os Cure são a banda da vida de outros tantos. Nada de novo. Celebremos, apenas.

Mac McCaughan (Superchunk): a comédia como solução

Falámos de tudo: comida, angústia, dos Superchunk e Portastatic, e de muita comédia – como The Best Show e dos gostos pessoais do Mac, cuja relação com o humor é de grande proximidade.

The Soft Moon – Criminal (2018)

Em Criminal, a voz de Luis Vasquez a.k.a. The Soft Moon fugiu da nuvem atmosférica em que se escondia e ecoa com uma força tempestuosa.

MGMT – Little Dark Age (2018)

Ao quarto disco, os MGMT regressam à acessibilidade pop da sua estreia, namorando com o mainstream electro dos anos 80. Podem não ser hoje tão relevantes, mas uma macheia de canções pop quase perfeitas, isso já ninguém nos pode tirar.

“Lovesong” – The Cure

“Lovesong” pode fazer sorrir ou entristecer, dependendo se o coração está partido ou não.

The Cure – Wish (1992)

O disco mais bem sucedido dos Cure marca o fim do período áureo da banda, feito à custa de uma exímia mistura de mestria pop e da sua personalidade alternativa de sempre.

The Cure – Disintegration (1989)

A obra-prima gótica dos Cure: triste como a chuva a cair, grandiosa como o fim do mundo.

The Cure || MEO Arena

A lotação praticamente esgotada fazia prometer uma noite de muita festa e, durante três horas, não houve outra coisa na MEO Arena. Afinal, este foi o regresso dos The Cure a palcos portugueses, quase quatro anos e meio depois do…

Agenda da Semana: 21 a 27 novembro

Chegámos à semana do Vodafone MexeFest! A semana do último grande festival do ano apresenta-nos muitas opções como sempre. Pela Av.Liberdade e Baixa Lisboeta vão passar muitos nomes como Kevin Morby, Elza Soares, Whitney, Howe Gelb, Jagwar Ma, NAO, Gallant,…

DIIV – Is The Is Are (2016)

Em quatro anos muito muda: passa o secundário e parece que tudo começou há uma vida atrás. Para Zachary Cole Smith, em quatro anos passaram várias vidas. Depois de tocar em bandas como Darwin Deez ou Beach Fossils, Smith decidiu…

The Cure – Standing On A Beach (1986)

Mesmo faltando a coesão sónica, propósito e direção de um álbum de estúdio, o sequenciamento desta colectânea é inteligente, um documento essencial na história da banda, fulcral para entender a sua evolução.