Sérgio Godinho – Salão de Festas (1984)

Um disco incompreendido na época mas redescoberto pela geração seguinte. “Coro das Velhas” e “Quimera do Ouro” ficam para a posteridade.

Sérgio Godinho – Coincidências (1983)

Sérgio Godinho queria que Coincidências fosse um disco de total intercâmbio entre o seu Portugal e o Brasil de muitos dos seus ídolos musicais. No entanto, essa viagem acabou por ficar a meio. Mas pouco importa, uma vez que o disco resultou muito bem.

Sérgio Godinho – Canto da Boca (1981)

Canto da Boca encerra uma das mais frutíferas trilogias da canção nacional e permitiu a Sérgio Godinho desbravar caminho para uma nova fase da sua carreira.

“O Elixir da Eterna Juventude” – Sérgio Godinho

Envelhecer é uma inevitabilidade e os remorsos sempre vãos, vai dizendo nas entrelinhas. À-pre-lom-pom-pom…

Sérgio Godinho – Kilas, o Mau da Fita (1980)

Kilas, o Mau da Fita é, para além do conhecido filme, uma interessante banda sonora de Sérgio Godinho. Muitos a ignoram, sobranceiramente. Se o Rui Ventura Tadeu soubesse disso, mandava partir as fuças a esses surdos ignorantes.

Sérgio Godinho – Campolide (1979)

Lançado no final da década de setenta, Campolide fecha com chave de ouro a primeira década de carreira de Sérgio Godinho.

“Liberdade” – Sérgio Godinho

Um graffiti posto em rock.

Sérgio Godinho – Pano-cru (1978)

Um disco de charneira que faz a ponte entre o Sérgio Godinho político e o criador de êxitos imortais.

Sérgio Godinho – De Pequenino se Torce o Destino (1976)

O disco português mais interessante feito no turbulento PREC, albergando pérolas como “O Namoro” e “Os Demónios de Alcácer Quibir”.

Sérgio Godinho – À Queima-Roupa (1974)

O disco mais político de Sérgio Godinho, nascido bem no meio do 25 de Abril de 1974.

“2º Andar, Direito” – Sérgio Godinho

A vida de um jovem casal numa qualquer cidade deste país podia ser perfeitamente um conto publicado em livro. Para nosso proveito, é canção de Sérgio Godinho.

Sérgio Godinho – Pré-Histórias (1973)

O homem dos sete instrumentos pode ser quem bem quiser. Lutou por esse direito e assegurou o seu lugar.

“É Terça-Feira” – Sérgio Godinho

A Feira da Ladra é uma instituição em Lisboa.

Sérgio Godinho – Os Sobreviventes (1972)

Sérgio Godinho encontrou uma identidade própria logo no seu disco de estreia. “Que Força é Essa”, “O Charlatão” e “Maré Alta” perduram até hoje.

“Fotos do Fogo” – Sérgio Godinho

Mais uma vez Godinho mostra a sua mestria com as palavras e consegue meter em canção sentimentos complexos e criar uma crónica geracional em cinco minutos.

Playlist da Semana: Sérgio Godinho 75

Mais do que um best-of, é uma escolha de todas as fases do seu percurso, entre êxitos e temas menos conhecidos.

Vem aí especial Sérgio Godinho no Altamont

Obrigado, Sérgio. Faz tão bem saber com quem contar…

Sérgio Godinho celebra 75 anos em palco

No próximo dia 31 de Agosto, Sérgio Godinho festeja o seu 75º aniversário na companhia de amigos e fãs no palco do Teatro Maria Matos.

Criado em 2005, o Altamont é, no seu âmago, um lugar de união para quem gosta de música. Evoluindo e crescendo, mas sem perder a inocência e ingenuidade que lhe dá o seu lado mais verdadeiro, o Altamont tentará cumprir com o propósito que sempre lhe pautou o caminho – ser um local de descoberta e partilha para quem ainda tem tempo para ouvir um disco de uma ponta à outra.

Website: Hypnotic Digital Agency
Logo: Joana Ray

Mais LidosWEEKMONTHALL
No Stats to show