Zanibar Aliens – III (2018)

Ao terceiro disco, os Zanibar Aliens esticam as asas para algumas novas paisagens sonoras, sem perder o puro sangue rock que sempre os caracterizou

Led Zeppelin – BBC Sessions (1997)

Um condensado testemunho da caminhada dos Zeppelin, monumento ao rock, às guitarras e aos excessos, uma ostensiva exibição de génio.

“Babe I’m Gonna Leave You” – Led Zeppelin

A canção acústica mais pesada de que há memória.

Led Zeppelin – Coda (1982)

Dois anos depois do fim oficial da banda, surge Coda, reunião de outtakes de discos anteriores, servindo para cumprir obrigações contratuais e para a despedida sem grande glória

“Hot Dog” – Led Zeppelin

“Hot Dog” é simples, quase banal, facilmente digerível (daí o título?), embora a letra fale de desamor e de vingança marcada. Coisas da vida, portanto.

Led Zeppelin – In Through the Out Door (1979)

In Through the Out Door é um disco lamentável. Tudo aquilo que é grande nos Led Zeppelin é pequeno nesta sua última obra.

“Good Times Bad Times” – Led Zeppelin

A revolução não precisa de passar na televisão. A revolução pode chegar (e chegou) sob a forma de uma canção com menos de três minutos que deixou bem claro as intenções de quem a tocava: eles iam ser a melhor banda de rock de sempre. 

Led Zeppelin – Presence (1976)

Presence, marcado por dúvidas e uma fuga para frente, é o início do fim do domínio mundial dos Led Zeppelin, e o seu último disco que ainda merece um lugar ao lado das obras-primas anteriores

“D’Yer Mak’er” – Led Zeppelin

Led Zeppelin versão jamaicana

Led Zeppelin – Physical Graffiti (1975)

Uma obra oriunda de um tempo em que o rock estava a começar a ficar aburguesado e as suas estrelas cada vez mais afastadas do público.

“How Many More Times” – Led Zeppelin

A acabar o histórico disco de estreia, “How Many More Times” é um colosso muitas vezes subvalorizado no panteão dos grandes épicos dos Led Zeppelin.

Led Zeppelin – Houses of the Holy (1973)

Houses of the Holy pode não ser tão poderoso como os dois primeiros discos, tão impactante quanto o terceiro ou repleto de clássicos como o quarto, mas o que lhe falta nessas características, compensa em variedade.

“You Shook Me” – Led Zeppelin

Uma canção imprópria para menores de 18 anos.

Milton Nascimento / Lô Borges – Clube da Esquina (1972)

De todo o património da música brasileira, Clube Da Esquina é incontestavelmente um dos trabalhos mais reconhecidos, fruto de uma geração e de um tempo próprio. Há projetos que constituem autênticos «antes e depois», tamanha é a revolução que provocam…

Led Zeppelin – Led Zeppelin IV (1971)

Led Zeppelin IV, o disco místico, o álbum sem nome, é o momento de consagração de deuses. Seres que re-inventaram o rock e o blues. Que brincaram com o folk e abriram as portas ao heavy metal.

“Tangerine” – Led Zeppelin

“Tangerine” é uma simples, delicada e belíssima balada, toda movida a guitarra acústica e a steel guitar.

Led Zeppelin – Led Zeppelin III (1970)

Com dois discos que estabeleceram um novo padrão na fusão de blues com rock pesado, os Led Zeppelin desdobram-se no seu terceiro disco, mostrando que também dominam o lado mais contemplativo da música.

“Achille’s Last Stand” – Led Zeppelin

“Achille’s Last Stand” é uma das mais poderosas canções dos Led Zeppelin