Iggy Pop – Free (2019)

Free é um disco de fim de fim de caminho, um álbum inteligente feito por alguém que sabe em que momento da vida se encontra. Iggy Pop merece tudo. Resta saber se os ouvintes sabem merecer Free.

“Space Oddity” – David Bowie

Nunca a letra de uma canção de Bowie nos pareceu tão trágica e tão cruel como esta.

Jakuzi – Fantezi Müsik (2017)

Antes de mais, o synthpop turco é real. Fugiu para o mundo da luz em 2017 com Fantezi Müsik e está aqui.

Lorde – Melodrama (2017)

Uma festa trágica, na ressaca de um amor finado. Mais do que música, é cinema e verdade.

Kraftwerk || EDP Cool Jazz 2019

Foi excelente o concerto dos Kraftwerk! Terminou em grande mais uma edição do EDP Cool Jazz! Fim de julho, fim de festa. A décima sexta edição do EDP Cool Jazz 2019 fechou as suas portas. Guardou para o fim a…

“Joe the Lion” – David Bowie

Ninguém enxertou o funk e a pop vanguardista europeia com tanta classe como Bowie.

Richard Swift – The Hex (2018)

Richard Swift é um génio do nosso tempo. Provavelmente, à frente do nosso tempo, que só será devidamente reconhecido daqui a vários anos. Pena, se isso acontecer, ainda assim, será sempre reconhecimento merecido.

Kraftwerk – Trans-Europe Express (1977)

A obra-prima dos Kraftwerk. Afinal, é possível fazer poesia com máquinas.

Iggy Pop – Lust for Life (1977)

Ao segundo disco, Iggy Pop canaliza o poder agressivo do som dos Stooges com as mais valias assimiladas durante as gravações de The Idiot.

Plastic People – Visions (2018)

Uma banda nova, portuguesa, que faz lembrar muita coisa, é certo, mas tudo coisas de valor. Está aqui um belo disco.

Anna Calvi – Hunter (2018)

Hunter é ao mesmo tempo uma procura e uma afirmação de liberdade – de género, de vida, sexual e social. É um grande manifesto musical e é, seguramente, um dos melhores discos do ano.

Arcade Fire || Campo Pequeno

Ontem foi uma noite mágica. No seu primeiro concerto em nome próprio em Portugal, os Arcade Fire encheram-nos a alma de um êxtase quase religioso. Podia mesmo ser de outra forma?

Arcade Fire – Arcade Fire [EP] (2003)

A estreia dos Arcade Fire nos discos permitiu, desde logo, antever o futuro da banda canadiana. Os ingredientes, embora ainda confeccionados num ambiente caseiro, já lá estavam todos para serem aproveitados em Funeral.

Sunflower Bean: antes dos vinte-e-dois, em castanho

Os Sunflower Bean falaram do incrível “Human Ceremony”, do tempo, de ser fãs dos clássicos, do ano de 2013, de que música devemos dar a crianças, de quantos concertos tocaram e de ser a banda mais fixe que há.

Shame – Songs of Praise (2018)

Começamos bem 2018, com o rock a emergir do canto escuro a que estava restringido e a mostrar as garras.

MGMT – Little Dark Age (2018)

Ao quarto disco, os MGMT regressam à acessibilidade pop da sua estreia, namorando com o mainstream electro dos anos 80. Podem não ser hoje tão relevantes, mas uma macheia de canções pop quase perfeitas, isso já ninguém nos pode tirar.

Roxy Music – Roxy Music (1972)

Ouvir Roxy Music, o álbum de 1972, continua a valer muito a pena. É o que se espera de um clássico. Nem mais, nem menos.

“All the Young Dudes” – Mott the Hoople

Os Mott The Hoople com uma pequena ajuda de David Bowie