Chuck Berry – Berry Is On Top (1959)

Se Little Richard era o filho, e Elvis o espírito santo, Chuck Berry será sempre o pai. Devemos-lhe tudo.

Elvis Presley – Elvis Presley (1956)

“Antes de Presley, não havia nada”, diria John Lennon, dramatizando o impacto deste disco.

“(There’ll Be) Peace in the Valley (For Me)” – Elvis Presley

Um lindíssimo hino de esperança, prometendo que, no Além, haverá a paz e a concórdia que tanto faltam na Terra.

Little Richard – Here’s Little Richard… (1957)

O álbum de rock’n’roll dos fifties mais consistente e electrizante. Punk antes do punk. Glam antes do glam.

The Beatles – A Hard Days’s Night (1964)

A banda-sonora de um filme semi-cómico deflagra bem no meio da Beatlemania, alimentando ainda mais o fogo da banda mais popular do mundo

Tom Jones || EDP Cool Jazz 2019

O Hipódromo Manuel Possolo encheu para aplaudir Tom Jones. O galês mostrou créditos e presenteou os presentes com um espetáculo digno da lenda viva que é.

Dead Kennedys – Fresh Fruit For Rotting Vegetables (1980)

Se o punk é, acima de tudo, pensar pela própria cabeça, então os Dead Kennedys serão um espécimen bem mais interessante.

Marlon Williams – Make Way For Love (2018)

O que é que cada um faz quando o mundo o virou ao contrário, o atirou ao chão, lhe pontapeou a cabeça e lhe cuspiu em cima?

Raul Seixas – Krig-ha, Bandolo! (1973)

Krig-ha, Bandolo! é um álbum histórico. Raul Seixas, o mítico rocker  que começou a gravar música nos finais dos anos sessenta, é o autor desse pequeno milagre sonoro que hoje resolvemos recordar.

The Beatles – Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band (1967)

Sgt. Pepper foi o auge da excentricidade dos Beatles. Em pleno Verão do Amor de 67, a criatividade da banda de Liverpool levou-os mais longe do que eles próprios, marcando a história da música com um dos melhores e mais complexos álbuns de sempre.

“Blue Moon” – Elvis Presley

Memphis. Bem longe de Yokohama. Elvis por todo o lado. Não consigo dormir. O Tom diz-nos pelo rádio que já são 2h17 da manhã e que a próxima is by the king himself, uma das suas preferidas para ouvir de…

Do Mississippi a Chicago: o apogeu da história do blues

No lamento da voz, no deslizar dolente das cordas da guitarra, nos bemóis do diabo, o blues conta toda a lúgubre história da comunidade negra nos Estados Unidos.

Canção do Dia: All Shook Up – Elvis Presley

A 20 de Abril de 1957 “All Shook Up” começava a sua série de oito semanas no cimo dos tops norte-americanos. Escrita por Otis Blackwell, que também o faria para outras músicas que Elvis também cantaria, “All Shook Up” não tem…

Canção do Dia: Return to Sender – Elvis Presley

Nos anos 60, a carreira de Elvis confunde-se com os filmes onde participou – em geral, comédias unidimensionais sem outro propósito que não o de fazer o máximo dinheiro no mínimo espaço de tempo. O filme de ’62 “«Girls! Girls!…

Canção do Dia: Elvis Presley – Mistery Train

“Mistery Train” é um velho standard de blues, gravado primeiro por Junior Parker em ’53 mas celebrizado por Elvis Presley em ’55. Como em tantos outros blues, o comboio que parte é a metáfora perfeita para um amor despedaçado: “Well…

Canção do Dia: Elvis Presley – Heartbreak Hotel

Há muitas canções anglo-saxónicas que traduzidas para português perdem a sua força original. Pensem, por exemplo, no “Let It Be” dos Beatles que se transformaria num horrendo “deixa estar”. Outras canções, porém, ganham um glamour inesperado com a tradução para…

The Doors – In Concert (1991)

Ouvi este disco no outro dia, pela primeira vez em mais de cinco anos. Ao escutá-lo de uma ponta à outra, tudo veio de repente. O tempo em que o conheci, quando o comprei, os anos que me acompanhou, tudo…