New Order – Power Corruption and Lies (1983)

Os New Order a mostrarem-se ao mundo, já libertos dos Joy Division, com uma nova face e uma nova sonoridade. As pessoas que vivem música como as que escrevem aqui no Altamont também são pessoas e, como tal, também têm…

Editors – The Back Room (2005)

Os Editors conseguiram, com o disco de estreia, ganhar algum espaço no meio do universo indie que estava a explodir no início dos anos 2000, com guitarras rápidas e toque eletrónico.

Interpol – Turn On The Bright Lights (2002)

Turn On The Bright Lights, dos Interpol, é um produto da melancolia e desilusão, marcado por um timbre barítono e um estilo sofisticado. De todas as formas de arte, a música é a única capaz de nos transportar para um…

Echo & the Bunnymen – Ocean Rain (1984)

O quarto álbum dos Echo & the Bunnymen, Ocean Rain, é a sua consensual obra-prima: orquestral, misteriosa, evocativa.

Iggy Pop – Free (2019)

Free é um disco de fim de fim de caminho, um álbum inteligente feito por alguém que sabe em que momento da vida se encontra. Iggy Pop merece tudo. Resta saber se os ouvintes sabem merecer Free.

The Cure – Seventeen Seconds (1980)

Seventeen Seconds é um álbum marcante na carreira dos The Cure. Pelos desenhos sonoros traçados a cinza e pela qualidade poética dos textos cantados, tem um encanto bastante particular. Uma floresta onde entramos para nos perdermos deliciosamente!

Vem Aí Festival: NOS Primavera Sound 2019

O NOS Primavera Sound 2019 está já ao virar da esquina.

Peter Hook & The Light || Aula Magna

Ao oitavo concerto em Portugal em nome próprio, Peter Hook continua a entreter. Em mais de duas horas de concerto, deu o que o público queria, as canções que o fizeram famoso. Mas vale sempre a pena tentar sentir a…

Plastic People – Visions (2018)

Uma banda nova, portuguesa, que faz lembrar muita coisa, é certo, mas tudo coisas de valor. Está aqui um belo disco.

Peter Hook regressa a Portugal em Abril

Baixista dos Joy Division e New Order passará por Lisboa, Guarda e Porto

GNR – Defeitos Especiais (1984)

Em 1984, ano distópico por excelência, os GNR lançam um disco sombrio e claustrofóbico cheio de referências pós-punk: uma espécie de Joy Division à Gomes de Sá, metade negrume de Manchester, metade granito do Porto.

GNR – Independança (1982)

Independança foi um pequeno OVNI que demorou a aterrar e a ser entendido na história do pop-rock made in Portugal.

Portishead – Dummy (1994)

Dummy é lúgubre mas sensual, como o decote lânguido de uma viúva chorosa.

John Maus – Screen Memories (2017)

John Maus tem novo disco. Chama-se Screen Memories e ficará na memória dos amantes do género. É um bom regresso!

The Cure – Disintegration (1989)

A obra-prima gótica dos Cure: triste como a chuva a cair, grandiosa como o fim do mundo.

Joy Division – Closer (1980)

Closer é o disco mais belo e trágico da história da pop, e quem disser o contrário tem o coração avariado.

Playlist da Semana: Vaguear

Esta semana temos uma playlist refletiva e para todos os gostos para a semana solarenga que se avizinha. Desde o sonhador Angelo Badalamenti, até à solitária Julie Byrne, passando pelos emotivos American Football e pelo groovy Notorious B.I.G., é um conjunto de canções para vaguear e organizar pensamentos.

Preoccupations – Preoccupations (2016)

Como Preoccupations, os antigos Viet Cong decidiram incorporar escalas mais melódicas e confortáveis