7/10
Beautify Junkyards – Cosmorama (2021)

Quarta viagem cósmica de uma banda que soa cada vez mais segura do seu caminho.

8/10
Luta Livre – Técnicas de Combate (2021)

A Luta Livre, o histórico Luís Varatojo incentiva à revolução, mas cheio de swing e boa onda.

Manuela Azevedo: A arte é um fim em si mesmo

Aproveitando o pretexto dos 25 anos de LusoQUALQUERcoisa, primeiro álbum dos Clã, estivemos à conversa com Manuela Azevedo.

Clã: 25 anos na corda bamba

O longo e sempre interessante caminho dos Clã, uma banda que insiste em apaixonar-nos.

Clã
“Sexto Andar” – Clã

Esta canção , tão bonita, chegou alto, até um sexto andar, onde estava alguém que dela precisava.

Clã - Corrente
Clã – Corrente (2014)

Corrente, sétimo de originais dos Clã, representou um baralhar e voltar a dar muito satisfatório: há ótimas canções, umas mais saltitantes, outras introspetivas, que têm sabido resistir à passagem do tempo.

Clã – Disco Voador (2011)

Há músicas sobre heróis e medos do escuro, sobre as maravilhas do chocolate e as dores dos desamores, em Disco Voador está uma infância como mandam as regras.

Clã – Cintura (2007)

O quinto disco dos Clã, Cintura, tem sido criminosamente subestimado. A sua pop leve e colorida, risonha e dançante, é um dos momentos mais criativos da banda.

Clã – Rosa Carne (2004)

Ao quarto disco de estúdio, os Clã resolveram reinventar-se.

Clã – Lustro (2000)

À terceira é de vez. Lustro é o álbum de consagração dos Clã: pop gourmet que chegou a toda a gente.

Clã – Kazoo (1997)

Depois da boa surpresa do álbum de estreia, os Clã não deixam dúvidas com o sucessor, Kazoo, um registo mais assumidamente pop-rock e cheio de grandes hinos.

Clã – lusoQUALQUERcoisa (1996)

O álbum de estreia dos Clã é um exercício interessante de uma banda em início de carreira com fulgor de ir a todo o lado ao mesmo tempo, mas numa estética a que o grupo, felizmente, não deu seguimento.

FOQUE em entrevista: “Gosto muito de tirar o tapete ao ouvinte”

Uma entrevista cativante que nos faz mergulhar na música do artista nacional que encontrou em FOQUE a sua sonoridade, ao fazer convergir diferentes formas de arte e influências artísticas.

8.5/10
Tristany – Meia Riba Kalxa (2020)

Meia Riba Kalxa é sonho e lamento, festa e melancolia, tensão e distensão, agressividade e placidez. É a rua, a periferia e os sonhos de quem nela cresceu transformados num objeto artístico com drama, vida e seus diferentes ritmos, festa e tristeza, dor e conquista.

7.5/10
Névoa – Towards Belief (2020)

Ao terceiro longa duração, o duo portuense de Black Metal encontraram uma fórmula para encaixar no seu caos distorcido e gutural a elegância jazzística do saxofone e do trompete.

8/10
Dino d’Santiago – KRIOLA (2020)

2020 foi o ano em que Dino nos lembrou que, afinal, andou sempre por aí. Será esse o segredo?

Cristina Branco – Eva (2020)

Lançado no ano da pandemia, Eva é mais uma prova (como se fosse preciso) de…

Rodrigo Leao - Metodo
7.5/10
Rodrigo Leão – O Método (2020)

O Método é um disco ambiental e sereno, com a qualidade que Rodrigo Leão nunca deixa de apresentar