Nitin Sawhney – Beyond Skin (1999)

O seu poder está na suspensão, nem que seja provisória, do nosso cinismo. Durante 58 minutos voltamos a ter compaixão pelo mundo.

Lana Del Rey – Born to Die (2012)

Que se lixe a verdade, diz Born to Die a cada instante. A beleza é muito mais importante.

DJ Shadow – Endtroducing….. (1996)

Liberto da função de servir o rap, os beats de DJ Shadow ganham uma liberdade inaudita. Se o rap não existe, então, tudo é permitido.

Tricky – Maxinquaye (1995)

Imaginem-se num beco escuro, ouvindo passos: isso é Maxinquaye.

Portishead – Dummy (1994)

Dummy é lúgubre mas sensual, como o decote lânguido de uma viúva chorosa.

U.S. Girls – In a Poem Unlimited (2018)

A diversidade de In a Poem Unlimited é, talvez, o seu melhor trunfo. O projecto U.S. Girls está de volta, e podemos dançar ao som de Meghan Remy!

Massive Attack – Blue Lines (1991)

Em pleno século XX, Blue Lines inventa o som do século XXI. A receita é simples: música de dança para a cabeça e não para os pés. 

Playlist da Semana: Outono

Playlist da Semana: Outono

Guns N’ Roses: a banda gigante que o mundo esqueceu

Eu Judas Iscariotes me confesso. Porque amei os Guns desalmadamente na minha adolescência e depois os traí por trinta dinheiros. Dêem-me uma corda e uma velha figueira, não sem antes vos contar a minha torpe história. O meu primeiro concerto…

Canção do dia: Number Song – DJ Shadow

  Tanto Godard como Jarmusch fala(va)m da ilegitimidade autoral como se de teor renascentista: nada é original. Nada diz respeito a criacionismos. O génio não prolifera sem contexto. DJ Shadow, no arquetípico Endtroducing, meandrando pelo hip-trip-hop, parte da premissa que…

Massive Attack – Ritual Spirit [EP] (2016)

Voltar à paciência consequente era a grande tarefa dos Massive Attack quando do seu regresso ao estúdio. Por raras vezes mostrava Heligoland, lançado há mais de meia década atrás, a centelha de génio que abrangia a totalidade da duração dos…