Os melhores discos nacionais de 2019

Continuamos, portanto, a saber fazer música aqui no nosso retângulo, não para inglês ver, mas para consumo interno, para nos deliciarmos na nossa língua materna e por ela nos deixarmos envolver. Rejubilemos, então, e até 2020!

Ornatos Violeta || Campo Pequeno

Fazemos nossas as palavras de Manel Cruz: “Foi lindo, lindo, lindo”

NOS Alive 2019 – Dia 1

O primeiro dia do NOS Alive teve nos The Cure o seu momento mais alto. Houve calor e música para todos os gostos, num desfile de estilos e ritmos bastante assinalável.

Manel Cruz || Capitólio

Entre temas do álbum novo intercalados com muitas faixas de Foge Foge Bandido, Manel Cruz tocou no Capitólio como se estivesse rodeado de amigos, na sala de sua casa.

Manel Cruz – Vida Nova (2019)

Isto não é uma análise a um disco, isto é admiração sem vergonha e uma declaração de amor platónico.

Vodafone Mexefest 2017 – Dia 1

Quando há Mexefest, sabemos que o Natal está próximo e que vamos fazer quilómetros Avenida da Liberdade afora. E isso é bom.

Vem Aí Festival: Paredes de Coura 2017

Chega mais um Agosto, e, com ele, mais uma edição do Festival Paredes de Coura, que, este ano, completa a sua vigésima quinta primavera.

Vodafone Paredes de Coura confirma uma mão cheia de artistas

São cinco confirmações de uma assentadae para todos os gostos

Vem Aí Festival: Festival Silêncio

Quem espera sempre alcança. Após dois anos sem se realizar, o Festival Silêncio volta esta semana – em grande força – para plantar na rua a palavra, o pensamento e a cultura. Saindo dos modelos convencionais de festival, o mote do…

Manel Cruz confirmado no Festival Silêncio

Num momento de intervalo entre projectos,  Manel Cruz propõe-se a misturar passado, presente e aquele que poderá ser um futuro. O timoneiro por detrás de grupos como os Ornatos Violeta, Pluto, Supernada ou Foge Foge Bandido regressou à vida pública no…

Reportagem: NOS Primavera Sound 2015 – Dia 3

Terceiro e último dia. Começo mítico, meio inacreditável, final apoteótico. Os primeiros acordes da tarde vinham da guitarra de Manel Cruz. Um dos artistas do festival que menos precisa de apresentações, Cruz jogou em casa. Seguro de si, deu amor…