Caetano Veloso – Outras Palavras (1981)

Outras Palavras foi o primeiro Disco de Ouro da carreira de Caetano Veloso, e percebe-se facilmente a razão: é um tremendo álbum, repleto de clássicos e de amor em forma de sons e palavras, de outras palavras, entenda-se.

Marisa Monte – Memórias, crónicas e declarações de amor (2000)

No arranque do milénio, Marisa Monte traz-nos um colosso cheio de hits e de clássicos, cruzando a tradição com uma impecável modernidade.

Salma e Mac – Entrevista

Desde há muito que o Altamont tem dado o devido destaque à banda brasileira Carne Doce nas páginas deste site. Fomos percebendo e entendendo a sua evolução, o seu crescimento, a forma como se foram transformando num projeto vigoroso e…

Gilberto Gil – Expresso 2222 (1972)

Há que comemorar o álbum Expresso 2222 . Ele faz 50 anos e o seu autor, Gilberto Gil, conta já com mais trinta. Dois números de peso que cimentam um disco, uma carreira e um músico de exceção. Andamos sempre atentos a…

Tim Bernardes – Mil Coisas Invisíveis (2022)

Ao fim de cinco anos, Tim Bernardes decidiu recomeçar mais uma vez. O recente Mil Coisas Invisíveis traz-nos de volta uma das melhores vozes da atual música popular brasileira. Já serão poucos aqueles que ainda vão tendo reticências em relação a Tim…

Arto Lindsay – Mundo Civilizado (1997)

Mundo Civilizado é um disco totalmente sedutor. Um toque de bossa, um cheirinho a eletrónica, uma pitada de art pop jazzístico, boas canções, e está feita a festa!

Bala Desejo – Sim Sim Sim (2022)

Bala Desejo é coisa boa, música que faz pensar na MPB dos anos 70, junção milagrosa de Caetano, Rita Lee, Ben e Novos Baianos nos sons e nas vozes de Julia, Dora, Zé e Lucas. Um pequeno milagre musical! Julia,…

Djavan – Coisa de Acender (1992)

É sempre importante ouvir Djavan.

“Araçá Azul” – Caetano Veloso

Um minuto e vinte de canção, de grande canção. “Araçá Azul” fecha o quinto álbum de originais de Caetano Veloso, com o mesmo nome, e é um portento de beleza que merece contemplação e repetição.

Moreno Veloso – Every Single Night (2022)

Every Single Night é um acontecimento que muito deve à clausura da pandemia em que ainda vivemos. O disco compõe-se de versões muito especiais de variados temas onde apenas encontramos voz, as cordas de um violão e uma pitada enorme de bom gosto.

Caetano Veloso – Transa (1972)

A data é comemorativa, mas servirá sobretudo como lembrete: ouvir Transa é urgente, mesmo passados 50 anos do seu aparecimento público, ou até talvez por isso. O antes e o agora revelam que o disco, afinal, não tem a idade…

“Sem Samba Não Dá” – Caetano Veloso

“Não me tirem o samba”, não é shôr Caetano? Aos 79 anos, o mestre camaleão da canção brasileira não dá sinais de velhice. Continua a compor e a criar grandes canções, não as apressando e dando-lhes tempo para se lhe…

Os melhores discos internacionais de 2021

A redação do Altamont falou: eis os melhores discos internacionais de 2021 para os nossos escribas!

Caetano Veloso – Meu Coco (2021)

Será possível que o mundo inteiro possa caber dentro da rodela de um disco? Sim, pode. Sobretudo quando esse mundo tão particular existe no coco de um grande criador. Meu Coco, meu mundo. Eis o antes, o agora e o depois no…

Gilberto Gil || Coliseu dos Recreios

A tour europeia de Gilberto Gil passou pelas Portas de Santo Antão. No Coliseu dos Recreios, o mestre baiano trouxe a magia de todos os tempos numa bonita viagem familiar. Foi muito bom vê-lo subir de novo ao palco.

Rodrigo Amarante – Drama (2021)

Drama foi gerado sem pressas, clara imagem de marca de Rodrigo Amarante. O disco vem carregado de emoções díspares, onde tristeza e alegria parecem representar a essência das ambiguidades sentimentais do hermano carioca.

“Trilhos Urbanos” – Caetano Veloso & Ivan Sacerdote

Ouvir “Trilhos Urbanos” é sempre um prazer.

Caetano Veloso & Ivan Sacerdote – Caetano Veloso & Ivan Sacerdote (2020)

Ouvir Caetano Veloso & Ivan Sacerdote divide-nos entre a “dor e o prazer”. E assim vivemos enganados durante pouco menos de 40 minutos. É muito pouco, e tanto ao  mesmo tempo!