O Homem Velho

A canção “O Homem Velho”, presente no álbum Velô, de 1984, inspirou a escrita deste conto. 2022 foi o ano das comemorações das oito décadas de vida de Caetano Veloso, a quem o Altamont presta, mais uma vez, a sua homenagem.

Caetano Veloso e Chico Buarque – Caetano e Chico Juntos e ao Vivo (1972)

Caetano e Chico – Juntos e ao Vivo é um disco que já nasceu clássico. 50 anos após as duas datas do concerto no Teatro Castro Alves, na Bahia, voltámos a ele e dele voltámos a inspirar a sua doce…

“Vaca Profana” – Gal Costa

Gal Costa derramou o “leite bom” na nossa cara em “Vaca Profana”, uma das melhores composições que Caetano Veloso lhe ofereceu nos anos 80. Rock bom, com “cornos pra fora e acima da manada”. A letra é uma obra de…

“Da Maior Importância” – Gal Costa

“Da Maior Importância” é a canção que explica, digamos assim, a relação que durante muitos anos rolou entre Caetano Veloso e Gal Costa. A baiana afirmou um dia que “foi muita tesão” sem nunca passar disso. Ouça bem as palavras…

Playlist da Semana: Meu Nome é Gal

Lembrar a voz de Gal Costa. Ouvir as suas canções. É esse o nosso propósito. Quando Gal cantava, reinava sempre um silêncio interior e tudo era “divino maravilhoso”. Essa era a sua “força estranha”, a sua missão no mundo. Viva Gal…

Meu nome é Gal!

Gal Costa morreu, mas deixou-nos tanta vida que ela e a sua voz perdurarão. Hoje, meu nome é Gal.

Tim Bernardes || Coliseu dos Recreios: A beleza é um bem que perdura

O Coliseu dos Recreios levou uma doce tareia sentimental. E gostou. Gostou muito, graças ao génio do músico paulistano.

Minha Mulher

A minha mulher não era apenas minha mulher. Explico melhor: era muito dada, muito amiga do próximo, como se o outro, qualquer um que fosse, fizesse brotar dela uma natural e forte força empática, um curioso e definitivo desejo de…

Caetano Veloso – Outras Palavras (1981)

Outras Palavras foi o primeiro Disco de Ouro da carreira de Caetano Veloso, e percebe-se facilmente a razão: é um tremendo álbum, repleto de clássicos e de amor em forma de sons e palavras, de outras palavras, entenda-se.

Marisa Monte – Memórias, crónicas e declarações de amor (2000)

No arranque do milénio, Marisa Monte traz-nos um colosso cheio de hits e de clássicos, cruzando a tradição com uma impecável modernidade.

Salma e Mac em entrevista

Desde há muito que o Altamont tem dado o devido destaque à banda brasileira Carne Doce nas páginas deste site. Fomos percebendo e entendendo a sua evolução, o seu crescimento, a forma como se foram transformando num projeto vigoroso e…

Gilberto Gil – Expresso 2222 (1972)

Há que comemorar o álbum Expresso 2222 . Ele faz 50 anos e o seu autor, Gilberto Gil, conta já com mais trinta. Dois números de peso que cimentam um disco, uma carreira e um músico de exceção. Andamos sempre atentos a…

Tim Bernardes – Mil Coisas Invisíveis (2022)

Ao fim de cinco anos, Tim Bernardes decidiu recomeçar mais uma vez. O recente Mil Coisas Invisíveis traz-nos de volta uma das melhores vozes da atual música popular brasileira. Já serão poucos aqueles que ainda vão tendo reticências em relação a Tim…

Arto Lindsay – Mundo Civilizado (1997)

Mundo Civilizado é um disco totalmente sedutor. Um toque de bossa, um cheirinho a eletrónica, uma pitada de art pop jazzístico, boas canções, e está feita a festa!

Bala Desejo – Sim Sim Sim (2022)

Bala Desejo é coisa boa, música que faz pensar na MPB dos anos 70, junção milagrosa de Caetano, Rita Lee, Ben e Novos Baianos nos sons e nas vozes de Julia, Dora, Zé e Lucas. Um pequeno milagre musical! Julia,…

Djavan – Coisa de Acender (1992)

É sempre importante ouvir Djavan.

“Araçá Azul” – Caetano Veloso

Um minuto e vinte de canção, de grande canção. “Araçá Azul” fecha o quinto álbum de originais de Caetano Veloso, com o mesmo nome, e é um portento de beleza que merece contemplação e repetição.

Moreno Veloso – Every Single Night (2022)

Every Single Night é um acontecimento que muito deve à clausura da pandemia em que ainda vivemos. O disco compõe-se de versões muito especiais de variados temas onde apenas encontramos voz, as cordas de um violão e uma pitada enorme de bom gosto.