Metronomy – Metronomy Forever (2019)

Tudo o que encontramos aqui são melodias bonitas, electrónica vintage com groove e a elegância que advém da total despretensão.

“The Big Ship” – Brian Eno

Em 1975, Brian Eno transportou, dentro do seu Another Green World, toda a humanidade para o futuro.

Uma Mão Cheia de Discos em Órbita da Lua

Uma Mão Cheia de Discos em Órbita da Lua é a nossa homenagem a esse enorme feito humano e aos 50 anos desse acontecimento. Siga-nos e embarque na viagem que vos propomos. It’s a one way ticket to ride!

“Chemistry” – Brian Eno / John Hassell

Brian Eno encontrou em Jon Hassell, um aliado perfeito para criar este “Chemistry”, retirado do fantasmagórico “Fourth World, Vol.1: Possible Musics”.

Jacco Gardner – Somnium (2018)

Ao terceiro disco, Jacco Gardner esquece as palavras e dá-nos uma viagem pelo seu mundo em modo ambiente. O percurso é satisfatório mas sabe a pouco.

Oneohtrix Point Never – Age Of (2018)

Com uma carreira construída a emular a paisagem sonora do apocalipse, Daniel Lopatin, mais solto e despreocupado, volta aos discos com Age Of.

Sunflower Bean: antes dos vinte-e-dois, em castanho

Os Sunflower Bean falaram do incrível “Human Ceremony”, do tempo, de ser fãs dos clássicos, do ano de 2013, de que música devemos dar a crianças, de quantos concertos tocaram e de ser a banda mais fixe que há.

Playlist da semana – Brian Eno e o mundo à sua volta

Quem não é Brian Eno? Sim, a formulação está correta. Pensem num género musical, recordem alguns dos maiores ícones da música moderna, e quase de certeza que Eno esteve nesses meios. Produtor de exceção, músico de culto, o Altamont evoca…

The Gift || Coliseu dos Recreios

Os The Gift foram ao Coliseu dos Recreios comemorar o seu mais recente Altar, mas também vinte e três anos de carreira.

Roxy Music – Roxy Music (1972)

Ouvir Roxy Music, o álbum de 1972, continua a valer muito a pena. É o que se espera de um clássico. Nem mais, nem menos.

“I’ll Come Running” – Brian Eno

A mestria de Eno, aquela que cerebralmente intelectualiza a pop, desagua por paradoxo nesta irreverência orgânica, de uma pop que verdadeiramente acessibiliza uma música livre por fundamento.

Carga Aérea – Ocorrência em Aberto (2017)

Carga Aérea chega e impõe-se. Instala-se aos poucos, acomoda-se e já não parte para qualquer outro lugar.  A implosão que provoca no ouvinte é irreversível. Ocorrência em Aberto é uma monólito sonoro de média dimensão. Dura trinta e dois minutos e…

Ryuichi Sakamoto – async (2017)

Depois de muitos anos de silêncio, o yellow magic man está de regresso. Vem com mais de duas mãos cheias de belíssimos temas. Vem renovado e com vigor, mas também repleto de uma mágica melancolia que me enche o peito de contentamento.

The Gift – Altar (2017)

Altar é o disco mais arrojado dos The Gift desde Film, de 2001. Brian Eno ajuda, mas o fundamental está nos alcobacenses: um renovado sentido de experimentação aliado ao desenho de superlativas canções.

Brian Eno – Reflection (2017)

Brian Eno volta às brincadeiras sérias ao redor dos silêncios. Reflection abriu 2017 propondo-nos um caminho de paz e reconciliação.

“Fickle Sun (III) I’m Set Free” – Brian Eno

Termino esta semana com uma das mais belas criações musicais que este ano nasceram (ainda que sendo uma versão de uma canção com quase 50 anos). Pode ter sido um ano difícil para a música e para o mundo no geral mas…

Salto – Passeio das Virtudes (2016)

Com mais dois membros, os Salto tornaram-se orgânicos e ácidos. Falam menos de desamor e mais de vida/morte. Mas ainda falam de amor. Se a vida depois da morte for uma festa numa “cidade branca” repleta de música negra, então os Salto instituíram em 2016 um credo novo. Se substituir versículos por canções e vestes rasgadas por sintetizadores, verá que Passeio das Virtudes é uma epopeia (quase) bíblica.

“The Satellites” – Brian Eno & Karl Hyde

Someday World foi um dos resultados da colaboração entre Brian Eno e Karl Hyde em 2014. O primeiro dispensa apresentações. O segundo, a quem este nome não diz nada, é um dos fundadores e frontman da banda britânica Underworld. “The Satellites”…