Marisa Monte – Memórias, crónicas e declarações de amor (2000)

No arranque do milénio, Marisa Monte traz-nos um colosso cheio de hits e de clássicos, cruzando a tradição com uma impecável modernidade.

Arto Lindsay – Mundo Civilizado (1997)

Mundo Civilizado é um disco totalmente sedutor. Um toque de bossa, um cheirinho a eletrónica, uma pitada de art pop jazzístico, boas canções, e está feita a festa!

“Mulata Fuzarqueira” – Arto Lindsay

Lembre-se que amanhã é feriado. É tempo de fuzarcar.

Arto Lindsay – Cuidado Madame (2017)

Não é necessário qualquer cuidado especial com este Cuidado Madame. Arto Lindsay regressa em boa forma. Atlético e musculado quanto baste, mas também capaz de se espreguiçar voluptuosamente.

Uma Mão Cheia de Caetano

A ideia desta Uma Mão Cheia é simples, e explica-se num ápice: fazer referência a 5 discos de músicos que, por força das suas longas e produtivas carreiras, nos pareçam boas e consistentes portas de entrada para um melhor conhecimento…

Reportagem: Arto Lindsay || Centro Cultural de Belém

  Arto Lindsay encerrou ontem, no Centro Cultural de Belém, a digressão europeia que levou a cabo este ano. Veio com muita coisa boa na bagagem. Para além dos músicos de excelente qualidade (aquele que já foi considerado o melhor…

Arto Lindsay em concerto no CCB a 16 de novembro

Arto Lindsay está de regresso a Portugal, o que saudamos antecipadamente. O homem que esteve por trás de nomes importantes como DNA, The Lounge Lizards e Ambitious Lovers chega ao palco principal do Centro Cultural de Belém no próximo dia…

Arto Lindsay – Encyclopedia Of Arto (2014)

Nunca pensei vir a escrever um texto a propósito de um Best Of. Sou avesso ao género, sobretudo por encontrar nesse formato uma espécie de função utilitária que me aborrece. Mas, como em tudo na vida, há espaço para exceções,…

Arto Lindsay – O Corpo Sutil [The Subtle Body] (1996)

Um breve preâmbulo para dizer que escrevo este texto enquanto ouço o disco sobre o qual redijo. Sintonia perfeita, portanto. E mais: conheço O Corpo Sutil (The Subtle Body) há tanto tempo, que nem sei quantas vezes já o ouvi…