Bom dia, tristeza: doçura e desespero em Elliott Smith

Nick Drake matou-se com comprimidos. Ian Curtis enforcou-se. Cobain deu um tiro na cabeça. Mas ao pé de Elliot Smith, que trinchou o seu próprio coração com um cutelo de cozinha, são todos uns meninos.

O que sempre senti e pensei sobre Ofertório, mas que nunca supus vir a escrever.

A propósito de Ofertório, espetáculo da família Veloso. Um pai, três filhos e memórias de um espírito santo que passou por mim.

not 4/4

O Altamont leva-nos a uma viagem descomplexada aos diferentes ritmos que populam no mundo pop/rock.

Os Pavement e o charme do desmazelo

O grande legado dos Pavement é mostrar-nos quanta beleza pode haver no inacabado, no desleixado, no descuidado. Como uma miúda gira acabada de acordar.

Os Fugly são um power-trio à antiga

Rock. Português, bem feito, com respostas na ponta da língua – ou do teclado, no caso. Falámos com os Fugly.

Roger Waters: há vida para além dos Floyd

Sozinho, Waters nunca conseguiu repetir a perfeição de um Dark Side of the Moon. Podia ser o principal criador dos Floyd mas a banda sempre foi muito maior do que o ego do seu baixista. Ainda assim, valeram bem a pena estes seus quatro belíssimos discos. É este o o percurso pós-Floyd que realmente queríamos? Claro que sim.

“Branco” mais Branco só há Cristina

Há disco novo, muitos convidados, elogios da crítica e aplausos do público.

Quando Hendrix queima a guitarra

Porque precisamos de deuses e de mitos, Hendrix sacrificou-se por nós, imolando a sua guitarra no fogo de Monterey.  Nesse instante, tornou-se eterno.

Não tenhas vergonha, eu também gosto de disco sound

Bonita a história do nascimento, morte e ressurreição do género musical mais odiado de todos os tempos. Nós gostamos de disco e explicamos porquê.

Jimi e Miles, uma amizade forjada na música

Uma mulher juntou os génios Miles Davis e Jimi Hendrix, numa amizade musical que esteve perto de dar um disco.

OK Computer: o regresso ao futuro com os Radiohead

Os hipsters preferirão o Kid A, glorificando a sua inacessibilidade. Os nazis da simplicidade pop escolherão o The Bends, apedrejando “Paranoid Android” pelas suas cedências ao prog. Mas as pessoas razoáveis optarão sempre por OK Computer, um disco desmedidamente belo e sem vergonha de o ser.

O circuito da música experimental em Lisboa

O seu público aumenta, as salas maiores abraçam-na: a música experimental está a crescer no seio da vida cultural lisboeta.

Os melhores discos nacionais de 2017

Temos, nas nossas escolhas para 2017, consagrados e novatos, estreantes e veteranos, confirmações e várias surpresas.

Os 20 melhores discos de 2017

Estas são as escolhas da nossa redacção. Os 20 melhores discos do ano.

Casper Clausen é a nossa Madonna indie e os Liima são merecedores de carinho

Segundo disco dos nórdicos Liima foi recentemente editado e motivou uma animada conversa com o vocalista do grupo.

A Love Supreme: quando Coltrane nos roubou o cinismo

Um tipo bem tenta ser fiel à sua descrença, molhando todos os dias o Schopenhauer no galão da manhã, mas depois vem a maldita magia de John Coltrane.

50 anos sem Otis Redding

Homenageamos o enorme Otis Redding, fundamental vulto da soul que perdeu a vida há exactamente 50 anos.

Até sempre, meu bom Zé Pedro

Ergam escadas, partam muros. O nosso herói partiu.