“Fuck Christmas, I’ve Got The Blues” – The Legendary Tigerman

Sozinho ou acompanhado, onde quer que o caro leitor esteja, que seja genuinamente feliz hoje.

“Sendo Assim” – Sam The Kid

Em “Sendo Assim”, dispensa ajuda e assina a melhor melhor música do disco.

“The Heathen” – Bob Marley

Em época de coletes amarelos, o momento é bom para lembrar uma das histórias mais famosas dos embrulhos entre música e política.

“Rappers Delight” – The Sugarhill Gang

Em 1979, “Rappers Delight” nem foi a primeira música em que o mundo ouviu rap, mas foi a primeira a que prestou atenção.

“These Boots” – Megadeth

Às vezes, a música pode ser só uma piada.

“Leave Me Alone” – New Order

Música para as almas solitárias que proliferam mundo fora.

“Hunter” – Anna Calvi

Mais um bom disco que nos trouxe a colheita de 2018.

“Slipping Husband” – The National

Música mais rebuscada de National que merece atenção.

“Geyser” – Mitski

“Geyser” pode ser considerada uma daquelas canções de amor que fará as delícias de muito coração partido.

“So Here We Are” – Bloc Party

Das melhores canções de Silent Alarm.

“Blackbird” – The Beatles

Cinquenta anos e nem uma ruga tem esta “Blackbird”.

“Teenage Kicks” – The Undertones

A opinião de John Peel será sempre tida em conta, e se esta era a sua favorita, não precisamos de mais.

“Peaches” – The Stranglers

“Peaches” é um tema de óbvio cariz sensual / sexual.

“Suspect Device” – Stiff Little Fingers

Uma banda que alimentou várias outras que vieram depois, nomeadamente os Green Day.

“Garageland” – The Clash

De volta à garagem. The Clash sempre mordazes.

“The Passenger” – Iggy Pop

Iggy nunca teve carta de condução nem veículo proprio, foi sempre o passageiro de serviço.

“Neat Neat Neat” – The Damned

“Neat Neat Neat” foi pioneira no punk britânico, mas vale mais por isso do que pela música em si.