Diogo Andrade
41 Articles0 Comments

Considero-me um sonhador, despido de preconceitos e de muitas mais coisas. Gosto de rock e de álcool. A primeira cassete que recebi nem mais nem menos que These Days dos Bon Jovi, até hoje a guardo religiosamente em casa da minha avó. Agora com 30 anos, longe de casa e perdido pelo mundo, o meu gosto musical ficou mais apurado – ou não, dizem vocês por entre Bad Medicine. Não abdico de comprar CD’s, recuso-me a utilizar o iTunes (ate porque é muita complicado) e guardo carinhosamente um grande respeito pelos anos 60. Mas não se enganem, não sou de descriminações de géneros ou décadas musicais. Há muita coisa boa por ai. Música, falo de música.

No Ouvido: Majical Cloudz – Impersonator (2013)

Majical Cloudz são efectivamente uma das maiores surpresas de 2013. Este duo Canadiano vem para ficar, e o seu novo álbum Impersonator traz o incrível dom de cativar a mais indiferente das pessoas. Um álbum produzido com detalhe, que nos…

Fuck Buttons – Slow Focus (2013)

Nada a apontar. Absolutamente nada. O terceiro álbum de Fuck Buttons, Slow Focus, em linha com os seus dois antecessores, Street Horrrsing e Tarot Sport, é simplesmente genial. Andrew Hung e Benjamin Power sobem a um pedestal divino para nos…

Quadron – Avalanche (2013)

Falar de Quadron é falar de música moderna. Aquilo que aconteceu quando começámos a misturar electrónica, com soul, funk, R&B e pop. Quadron estão lá, bem desafogados, com aquele pequeno de desejo de agitar isto tudo. E que benção é…

Deafheaven – Sunbather (2013)

Espera. Sim, vou começar esta critica com um ‘espera’. Algo muito estranho aconteceu quando decidi ouvir Sunbather, mais recente álbum, o segundo, da banda de black-metal Deafheaven. Bom, ex-black metal, agora podemos definir Deafheaven como post-rock, black-metal, hardcore, pop? Não…

Baths – Obsidian (2013)

Obsidian é um dos objectos mais importantes de 2013. É daquelas coisas que todos devíamos ter. Sem que nada o fizesse esperar e depois de 3 anos do seu álbum de estreia Cerulean, Baths entram nas nossas vidas com um…

British Sea Power – Machineries Of Joy (2013)

O que se passou com British Sea Power? Não sei, mas desconfio que estão de mal com a vida. Há uma depressão por detrás de Machineries Of Joy que me deixa confuso, na medida em que me dá a sensação…

Oblivians – Desperation (2013)

O anúncio de que Desperation iria ser lançado ao público em 2013 deixou os fãs de Oblivians em autentico êxtase. Preciso relembrar que o último álbum de estúdio da banda data de 1997, sim há 16 anos que não lançavam…

Wampire – Curiosity (2013)

Assim de repente Wampire diz-me quase tudo, e quase nada. Uma mistura óbvia de aborrecimento e genialidade. Num estilo forçadamente old school, em tons de indie, Curiosity carrega o fardo de ser o álbum de estreia de uma banda que…

Disclosure – Settle (2013)

Dance music? Ok, explica lá melhor perguntam vocês. E eu respondo calmamente, Disclosure. Assim, sem mais nada. Disclosure são e serão a revelação do ano (ou dos próximos) no que toca ao género musical. Settle é o seu álbum de…

Miles Kane – Don’t Forget Who You Are (2013)

Admito que Miles Kane não me cativou ao primeiro ouvir. Nem ao segundo, nem talvez ao terceiro. Acho que eu e ele temos uma história de amor/ódio difícil de explicar. O seu álbum de estreia a solo, Colour Of The…

Steve Mason – Monkey Minds in the Devil’s Time (2013)

Nada faria esperar que aqui estivesse sentado a escrever sobre Monkey Minds in the Devil’s Time, a verdade é que Steve Manson me deixou literalmente de boca aberta. Para quem não conhece, Manson era o vocalista de The Beta Band.…

Thee Oh Sees – Floating Coffin (2013)

Os Thee Oh Sees talvez sejam actualmente o maior fenómeno do punk rock. Por todos os motivos e mais alguns. Não se lhes pode apontar quase nada. Vêm crescendo a cada álbum, desde Castlemania que simplesmente rebentou com tudo e…

Beaches – She Beats (2013)

Não consigo disfarçar o meu apreço por esta banda australiana. Beaches são como uma espécie de Sonic Youth II, e quanto a isso não espero grandes debates. Como amante de Thurston Moore só posso apreciar que alguém venha dar seguimento…

Keaton Henson – Birthdays (2013)

Birthdays é uma verdadeira ode à depressão. Uma ode ao amor não correspondido. Linhas de letras tristes, profundas, das quais ficaria orgulhoso se as tivesse sido eu a escrever. Keaton canta-nos em sofrimento, com uma mágoa que faz Birthdays ser…

Akron/Family – Sub Verses (2013)

Há qualquer coisa muito íntima na música de Akron/Family. Um pequeno toque psicadélico que me deixa algo frágil. Numa autêntica montanha russa de melodramatismo frenético, Sub Verses traz o que de melhor este trio de americanos tem para oferecer. Entre…

Junip – Junip (2013)

O novo álbum de Junip anda por caminhos tantas vezes pisados pelo seu mentor e voz do grupo, José Gonzalez. Admito não ser o seu fã número 1, nem passarei a sê-lo por culpa de Junip. Junip não é mais…

Local Natives – Hummingbird (2013)

É certo que nos dias que correm Indie acaba por ser mais mainstream que Katty Perry, mas certo também é que há muita coisa que vem rotulada de origem como Indie e de forma até algo depreciativa. Um claro exemplo…

Phosphorescent – Muchacho (2013)

Aconteça o que acontecer, Muchacho irá certamente para o meu top 10 do ano de 2013. Desde a capa, ao titulo das músicas até ao constante tom inspirador, Muchacho tem tudo o que procuro quando penso em Indie. Está na…