Duarte Pinto Coelho
280 Articles0 Comments

Nascido a 28-12-1892, desde tenra idade se foi cultivando em mim o interesse pelas culturas indígenas de África. Aos 10 anos, acompanhei o meu pai numa expedição à Rodésia, onde pude contactar de perto com as tribos autóctones. Aprendi as suas maneiras, a sua relação com a divindade, o canibalismo ocasional para matar a fome, e o papel da música na preparação das batalhas. A minha pesquisa durou alguns anos, até ser atacado por uma tribo de mulheres carnívoras, que me deixaram sem uma perna, com várias cicatrizes e pouca vontade de continuar naquele continente. A adolescência e início de idade adulta foram passadas em comboios, visitando grande parte dos países do Médio Oriente e Ásia, dedicando os meus dias à fotografia de ambientes. Breves incursões pelos mundos da culinária e botânica, trouxeram-me aos dias de hoje, em que a maior parte do meu tempo se destina ao estudo e tratamento de animais raros das florestas tropicais. No meio disto, há sempre em som ambiente a Música, a tocar baixinho em gira discos, e a marcar o compasso das batidas cardíacas.

“White Winter Hymnal” – Fleet Foxes

Ao longo desta semana vamos fazer um exercício de memória e nostalgia. As cinco canções do dia são retiradas de álbuns lançados há 10 anos, que se mantém como clássicos do século XXI. A abrir a semana, o estrondoso disco…

Playlist da Semana: 2018 vai bem

Esta selecção é apenas uma sugestão, não exaustiva, para não perdermos o rasto dos álbuns que vão saindo.

“Up All Night” – Beck

Esta foi uma das primeiras músicas que Beck mostrou do novo álbum, Colors, que sai já na sexta-feira. Se o anterior Morning Phase – bonito mas por vezes secante, vencedor de um Grammy – era o sucessor directo de Sea Change, é relativamente seguro…

“Wednesday Morning Atonement” – Curtis Harding

Canção do Dia: “Wednesday Morning Atonement” – Curtis Harding

“Valley Boy” – Wolf Parade

Canção do Dia: “Valley Boy” – Wolf Parade

“Sky’s Grey” – Destroyer

Canção do Dia: “Sky’s Grey” – Destroyer

“Day I Die” – The National

Os National são daquelas bandas maiores que a vida. Com sete álbuns e 18 anos de carreira, já todos sentimos uma afinidade fora do normal com um disco, uma canção, uma frase ou um acorde. Nem que tenha sido só…

Playlist da Semana: Rentrée

Em semana de regresso massivo das férias, esta playlist faz uma espécie de balanço e antecipa as próximas semanas, discograficamente falando. Percorremos alguns dos grandes álbuns editados e antecipamos alguns que estão por lançar e cujos singles nos deixaram a…

“Candy May” – Alex Cameron

Setembro, mês de rentrée, com uma série de grandes discos bastante aguardados. Ao longo desta semana, destacamos algumas canções que já nos conquistaram e nos fazem ainda mais por esses álbuns. Para começar, o australiano cheio de ginga e charme…

Cage The Elephant – Unpeeled (2017)

Ao despirem as canções – acústicas e com uma secção de cordas – os Cage The Elephant expõem o lado mais cru da sua música. O que fica? Excelentes melodias, um grande vocalista e um disco altamente bem conseguido. No…

“Somebody To Love” – Jefferson Airplane

Escrita por Darby Slick para o seu grupo da altura, The Great Society, esta canção ganhou estatuto de hino intemporal quando foi gravada pelos Jefferson Airplane, nome decisivo da cena de São Francisco, muito por causa do carisma da vocalista,…

Luís Severo – Luís Severo (2017)

Em apenas oito canções, Luís Severo afirma-se como certeza cada vez maior da música nacional. Um disco simples, que parte da estreita relação entre piano e voz, mas rapidamente levanta voo e faz uma ponte entre a Lisboa de hoje e de há 40 anos.

Hanni El Khatib – Savage Times (2017)

Comecemos por tirar o chapéu a Hanni El Khatib pela coragem de lançar um disco com 19 músicas. Podia valer só por esse arrojo na forma, mas não, Savage Times terá longa vida porque é composto por mãos cheias de grandes canções.

Jim James – Eternally Even (2016)

Profecia, boa-nova e activismo, tudo embrulhado na mais fina canção. Com a sua melhor barba e cabelo comprido, Jim James é o nosso Messias. Eternally Even é um álbum quase perfeito.

“A pele que há em mim” – Márcia com JP Simões

Ao longo da semana, tentámos traçar aqui um roteiro da carreira de JP Simões, cantor e compositor abençoado com um talento e voz incríveis. Além da marca fundamental que já deixou, nas suas criações próprias, também colabora habitualmente com outros…

“Tremble Like a Flower” – Bloom

O novo disco, creditado a JP Simões, é na verdade uma obra de Bloom, Nicholas Bloom. A história deste trabalho, conta-nos o próprio músico. E esta noite, no Lux, vai ser a primeira apresentação deste novo trabalho em Lisboa e…

2017: o “Anno Bloomini” de JP Simões

A expressão “Anno Bloomini” é do próprio, quando lhe perguntamos se nos próximos concertos vai tocar coisas das vidas passadas – Quinteto Tati ou em nome próprio. Mas não, está em anno bloomini, que é um espaço é um tempo.…

“Rio-me de Janeiro” – JP Simões

Esta semana estamos a percorrer a obra de JP Simões. A primeira vez que o ouvimos foi à guitarra, num disco dos Pop Dell’Arte. Na viragem do século exclamou-se nos Belle Chase Hotel, depois começou a abrandar as batidas por…