Carlos Lopes
518 Articles9 Comentários

O autor destas linhas tem já idade para ter (algum) juízo, e isso deve notar-se, assim o espero. Os seus gostos variam, como será fácil perceber. Para além da paixão pela música, o escriba deste texto é professor de Português e Literatura Portuguesa, e é assim que ganha a vida. Com a música ganha o céu, o que já não é pouco. Tem um blog há já seis anos (http://i-blog-your-pardon.blogspot.pt/) onde escreve alguma coisa para pouca gente ler.

Blondie – The Curse Of Blondie (2003)

De toda a discografia dos Blondie, este é o único álbum que nunca consegui digerir completamente. Ainda hoje tenho alguns “mixed feelings” sobre The Curse of Blondie. Foi necessária uma espera de quatro anos para que a banda norte americana…

Lou Reed (1942-2013 e para sempre)

A morte de um grande deixa-nos sempre mais pequenos. Lou Reed faleceu hoje, aos 71 anos de idade, e ao mundo resta lembrar a pessoa, e sobretudo a sua obra, pois essa continuará, como sabemos. Fica-nos o que deixou gravado…

Reportagem: Milton Nascimento || Coliseu de Lisboa

Um concerto comemorativo de 50 anos de carreira é sempre um acontecimento. Mais ainda quando se dá a circunstância de o concerto acontecer no dia em que Milton Nascimento celebra o seu septagésimo primeiro aniversário. Tudo isto em Lisboa, na…

Blondie – No Exit (1999)

E assim, quase 17 anos depois de The Hunter, e sem que nada fizesse esperar, os Blondie tiveram direito a uma nova vida, a uma segunda encarnação. A frase de Sartre que vem no interior do booklet que acompanha a…

Reportagem: Thais Gulin || TMN ao Vivo

Foi a segunda vez que vi ao vivo um show de Thais Gulin. A primeira havia sido em maio, no Espaço Brasil, na Semana Jóias da MPB, em que a cantora do Paraná dividiu a noite com a carioca Nina…

Blondie – The Hunter (1982)

The Hunter representou o fim de um ciclo. Todos os elementos da banda estavam desgastados, e cada um à sua maneira, desejosos de viver outras realidades, outros destinos. Debbie Harry tinha dado o passo inicial ao fazer com Chris Stein,…

Blondie – Autoamerican (1980)

Autoamerican é, garantidamente, o disco que mais vezes ouvi em toda a minha vida. Não me refiro apenas aos discos dos Blondie, note-se. Esta afirmação abranje a totalidade dos muitos e muitos e muitos discos que já me passaram pelos…

of Montreal – Lousy With Sylvianbriar (2013)

As maravilhas da net têm destas coisas. O novíssimo disco dos of Montreal ainda nem sequer saiu e já podemos ouvi-lo e escrever sobre ele. É que aqui no Altamont ninguém dorme em serviço, e quando as novidades são melhor…

Blondie – Eat To The Beat (1979)

O que fazer depois de um mega-sucesso mundial, como foi Parallel Lines? A resposta não deixou margem para dúvidas: outro mega-sucesso mundial, claro! E assim foi. Eat To The Beat é a prova disso. Amo Eat To The Beat!. Ele…

Reportagem: Cansei de Ser Sexy // Anarchicks || TMN ao Vivo

Isto de assistir a dois concertos em que ambas as bandas são (quase) exclusivamente compostas por mulheres, tem que se lhe diga. Constatamos, uma vez mais e neste caso também pelo som, que elas é que mandam, embora nem sempre…

Blondie – Parallel Lines (1978)

Escrever sobre Parallel Lines é escrever sobre um dos melhores discos de Pop-Rock alguma vez feitos. Aparece em todas as listas dos álbuns mais importantes de sempre, e não admira que assim seja, uma vez que os seus 12 temas…

Blondie – Plastic Letters (1977)

Em Plastic Letters prevalece um som mais agressivo, se comparado  ao do primeiro registo, mais rockeiro, mas ainda muito banda de putos de garagem. Richard Gottehrer, que já havia produzido o primeiro disco da banda, voltou a trabalhar com os…

Blondie – Blondie (1976)

Os Blondie foram a primeira paixão da minha vida, o primeiro amor auditivo e visual. A música, e quem a cantava, fizeram de mim o fã número zero da banda em Portugal. Nem sequer admitia que houvesse alguém mais conhecedor…

Especial Blondie

Os Blondie foram, durante algum tempo, uma das mais importantes bandas do planeta. Mas, como tudo na vida, assim como ganharam destaque mundial, também foram perdendo relevância, e temeu-se que o seu desaparecimento fosse para sempre. Puro engano! Voltaram e…

No Ouvido: John Surman & Jack DeJohnette – The Amazing Adventures of Simon Simon (1981)

Foi há poucas semanas que este disco entrou na minha vida. Que momento arrepiante! Um milagre! É em instantes semelhantes a esse que damos conta da enorme imensidão de coisas que desconhecemos, e que se assim não fosse, as nossas…

Luisa Mandou Um Beijo – Luisa Mandou Um Beijo (2005)

Preludium acidental: Luísa é beijoqueira. Luísa é muito boa onda, cheia de sol e mar. Luísa mandou um beijo há muitos anos, e eu aceitei-o, demoradamente. Luísa não demora a entrar-nos na cabeça, e muito menos a permanecer nela. Luísa…

Arto Lindsay – O Corpo Sutil [The Subtle Body] (1996)

Um breve preâmbulo para dizer que escrevo este texto enquanto ouço o disco sobre o qual redijo. Sintonia perfeita, portanto. E mais: conheço O Corpo Sutil (The Subtle Body) há tanto tempo, que nem sei quantas vezes já o ouvi…

Jeremy Jay – Airwalker [EP] (2007)

Conheci a música de Jeremy Jay através deste Airwalker, o EP de estreia do artista. Nada sabia dele até ao momento em que reparei numa cover de “Angels On The Balcony”, e fiquei curioso. Convém dizer que a referida canção…