Alexandre Pires
548 Articles0 Comentários

Nasci em terras de Vera Cruz, decorria ainda a década de 70. De pequenino me apercebi que estava destinado a grandes feitos e quis desde logo deixar a minha marca, começando por atravessar o Atlântico a nado. Dessa experiência guardo sobretudo água salgada nos ouvidos, água essa que me impediu de dar ouvidos ao meu pai que queria fazer de mim engenheiro. Hoje, quando me perguntam a profissão, não sei o que responder. Tenho vários chapéus que vou usando consoante a ocasião, desde economista proeminente a futebolista de sonho, de crítico de música amador a empreendedor visionário, de tenista de meia tigela a DJ concorrido, de amante cinéfilo a pai dedicado.

Broken Social Scene – You Forgot it in People (2002)

Em ano que promete ter novo disco de Broken Social Scene, deu-me para ir remexer no baú da banda e revisitar “You Forgot it in People”.

Deerhunter – Why Hasn’t Everything Already Disappeared? (2019)

O que dizer mais sobre os Deerhunter, que teimam em lançar álbuns inquietantes, densos, cheios de recantos luminosos?

António Zambujo – Do Avesso (2018)

Dizem que a beleza está na simplicidade, mas como fazer música simples e cativante? Telefonem ao Zambujo a perguntar.

Lucy Dacus – Historian (2018)

Historian tem momentos de melancolia, sofrimento, ternura (muitos), e outros (poucos) de descarga e raiva. É visceral, sem ser azedo.

Adrianne Lenker – abysskiss (2018)

Uma preciosidade de disco, para deixar a tranquilidade tornar-se o rainha e senhora do nosso corpo enquanto o discorremos.

“Leave Me Alone” – New Order

Música para as almas solitárias que proliferam mundo fora.

“Teenage Kicks” – The Undertones

A opinião de John Peel será sempre tida em conta, e se esta era a sua favorita, não precisamos de mais.

“Suspect Device” – Stiff Little Fingers

Uma banda que alimentou várias outras que vieram depois, nomeadamente os Green Day.

“Neat Neat Neat” – The Damned

“Neat Neat Neat” foi pioneira no punk britânico, mas vale mais por isso do que pela música em si.

“Ghost Rider” – Suicide

Os Suicide também foram punks. Ao seu estilo próprio, mas foram-no.

IDLES || Lisboa ao Vivo

IDLES deram tudo, em concerto que nos deixou a sentir como se estivéssemos em 1977, no berço do punk rock, num qualquer clube de esquina de Londres ou Manchester.

“Sonic Reducer” – Dead Boys

Punk clássico com todos os ingredientes que se lhe reconhecem.

Talking Heads – Talking Heads: 77 (1977)

Disco de estreia de uma das bandas que contribuiu em larga medida para o pop rock como o conhecemos hoje, Talking Heads:77 ainda soa fresco e actual.

“Boredom” – The Buzzcocks

Incluída no EP Spiral Scratch, “Boredom” é enigmática.

Playlist da Semana – Punk ’77

Melhor forma de se mergulhar de cabeça em 1977, basta clicar no play na nossa playlist da semana.

“Pinhead” – Ramones

Gabba Gabba Hey! Gabba Gabba Hey!

Especial Punk ’77

Regresso ao mítico ano de 1977 e ao que se fez no mesmo ao nível de discos integrados no movimento punk.