Reportagens

Sensible Soccers || Culturgest

Três anos volvidos do lançamento de Villa Soledade, os Sensible Soccers perderam um membro mas ganharam dois em seu lugar. O resultado está à vista, em forma de Aurora – disco e espectáculo.

Quarta-feira passada, no grande auditório da Culturgest, os Sensible Soccers desceram à capital para apresentar o seu terceiro álbum, Aurora. Aurora porque a vida não seria vida sem morte, sem transformação e renascimento, ainda que confinados sempre a um mesmo sistema. Essa ecologia própria da banda nortenha sente-se na forma como, a cada disco, a mesma alma mater se manifesta de formas diferentes. Talvez esta seja a vez mais gritante, aquela em que a formação original se vê reduzida a metade, mudança essa que se traduz audivelmente no seu ADN, agora um floreado em igual parte jovial e tropical.

Em palco, Aurora ganha a força que os Sensible Soccers sempre souberam dar, com mestria, ao seu trabalho de estúdio. Uma genica singular, que torna palpáveis os sintetizadores e ritmos, esses últimos agora mais pujantes que nunca, com Jorge Carvalho agora a cargo das percussões. Com a saída da guitarra, também o baixo se vê renovado, com maior expressividade tonal para tomar o lugar da companheira de cordas de outrora. Em Aurora, a balança pende mais para o lado sensual do que o nostálgico, mais para o lascivo do que para o contemplativo. As cores frias transformam-se em arranjos multicolor, o urbanismo enevoado em campo verdejante e ecossistemas vibrantes. E tudo isso tanto em disco como ao vivo. Mantém-se a energia, agora mais próxima da electrónica de dança em tom esotérico do que do épico catártico de guitarras e sintetizadores à Manuel Göttsching.

Como seria de esperar – afinal, o novo disco tem menos de três semanas  -, o momento de maior êxtase do concerto na Culturgest foi o de “Villa Soledade”, tema escolhido, a par de “zaire 1974”, para evocar o passado da banda. Apesar disso, verdade seja dita, foi o conjunto Aurora a fazer levantar a plateia inteira em ovação, público inteiro acolhendo de braços abertos a brisa de Primavera/Verão deste novo começo.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Fotos gentilmente cedidas por Vera Marmelo.