Canção do dia

“Change” – J. Cole

É estranho que não se mencione mais vezes o nome de J. Cole quando se fala de artistas com voz própria, que se distinguem do cenário musical e artístico que os rodeia pela originalidade, discurso e postura.

Muito pouco dado a uma promoção “ruidosa” e industrial do seu trabalho – dá cada vez menos entrevistas, aposta cada vez menos nos videoclips e singles de promoção dos trabalhos -, vai antes sublinhando o que importa: as canções e os discos (como o último, 4 Your Eyez Only, de 2016) com documentários sobre a sua feitura, sobre o ambiente social que o inspira/inspirou e com silêncio, essencial para que as canções se oiçam com mais limpidez.

Nesta Change – o vídeo é retirado do documentário que fez com a HBO, onde deambula pelas ruas dos Estados Unidos da América em busca de pessoas e discussões inspiradoras (sobre temas como a desigualdade de oportunidades entre brancos e negros mas também exemplos de superação individual, amor, religião, transcendência e fraternidade, por oposição à violência mundana nas ruas, em que também repara) – percebe-se que J. Cole é, actualmente, um dos melhores contadores de histórias do hip-hop e da música americana em geral.

Pistols be poppin’ and niggas drop in a heartbeat / Scattered like roaches, a body laid on the concrete (…) No time for that, ain’t no looking back cause I’m running too // I made it home, I woke up and turned on the morning news / Overcame with a feeling I can’t explain / cause that was my nigga James that was slain, he was 22 / (Last night at around…) He was 22 / (22 year old black male, suspect, reporting live…)”