Canção do dia

“Hollow” – Alex G

O tempo trouxe nuvens e chuva. Portanto trago-vos Alex G. Com uma carreira extremamente prolífica – 6 álbuns, 4 singles e 1 EP em apenas 4 anos – para alguém da sua idade (tem apenas 22 anos), a música de Alex Giannascoli foi uma das descobertas mais felizes que fiz no ano passado. Algures a meio de uma semana de aulas, em novembro, lembrei-me de ir espreitar quem era este rapaz, sobre quem tinha lido na Mojo. A simplicidade das letras e a descrição que faziam da sua sonoridade deixou cá o bichinho, que, por fim, teve de ser satisfeito. Assim, cheguei a DSU, o seu último álbum, e aí me maravilhei. Com fortes ecos dos anos ’90 (Dinosaur Jr e, sobretudo, Pavement), o músico consegue transcender as suas influências, encontrando um som muito próprio e um contraste letra-instrumental muito interessante: em guitarras borbulhantes, feitas ora de uma sonolência narcótica ora de feedbacks hipnotizantes, com um toque cristalino-lisérgico que as torna quase psicadélicas, alicerçadas num baixo e bateria competentes, encaixam letras simples, às vezes tristes, outras vezes deprimentes. Esta alegre tristeza, canalizada pela voz frágil, mas com presença, do músico de Filadélfia fica-lhe muito bem; e fica especialmente melhor quando experimentada em dias como têm sido os últimos – cinzentos e chuvosos. É que, apesar da depressão latente, as suas músicas, como esta “Hollow”, trazem cor a estes dias mais chatos. Um novo álbumBeach Music, está para sair. Até lá, fiquem com esta bela música.

Comments (0)

Comente