Tiago Freire
491 Articles3 Comments

O autor deste texto tem 39 anos mas um corpinho de 35. É jornalista há mais de 15 anos. É colaborador de vários blogs e parvoíces afins e já escreveu para a Blitz e para a FHM. Nasceu e cresceu em Carcavelos, fazendo aí o mestrado musical enquanto todos os seus amigos andavam de skate ou faziam surf. Hoje em dia, divide o seu tempo entre as notícias de Economia e a educação dos seus três filhos, enquanto o mundo não percebe que ele é o maior escritor vivo do planeta, coisa que terá inevitavelmente de acontecer. Na próxima encarnação desejaria ser uma mistura entre o Serge Gainsbourg e o Pablo Aimar.

Old Jerusalem – Certain Rivers (2021)

Ao oitavo disco, Old Jerusalem dá-nos um disco despido e plácido, com o habitual conforto contemplativo Francisco Silva, aka Old Jerusalem, já anda nisto há muito tempo. E se as suas fotos mostram a passagem do tempo – como acontece…

Sven Wunder – Natura Morta (2021)

Ao terceiro, o misterioso sueco traz-nos uma delícia retro que nos remete para as bandas sonoras italianas dos anos 70 Sven Wunder parece ter vindo do nada. O músico sueco sobre quem pouco ou nada de sabe lançou nos últimos…

Dinosaur Jr – Sweep It Into Space (2021)

Mais um bom disco de uma banda que não mexe na fórmula que já dura há décadas

Nick Cave and the Bad Seeds – Murder Ballads (1996)

Sangue, morte, inocência e perigo, num disco conceptual sobre o crime, que viria a tornar-se no trabalho mais vendido de Cave até então Nick Cave e as suas sementes más já tinham muitos anos de estrada e muito caminho percorrido.…

Cory Hanson – Pale Horse Rider (2021)

O tom é lento, arrastado, lânguido, com a paisagem a revelar-se sem pressas à nossa frente, sem brusquidão ou violência.

Minta & The Brook Trout – Demolition Derby (2021)

Os Minta & The Brook Trout regressam com a delicadeza pop a que nos habituaram, um bálsamo em tempos confusos

Matt Sweeney & Bonnie Prince Billy – Superwolves (2021)

Superwolves é um disco íntimo e especial, das penas dos amigos Bonnie Prince Billy e Matt Sweeney.

King Gizzard and the Lizard Wizard – L.W. (2021)

L.W. é mais um óptimo disco a provar que os King Gizzard são a banda rock mais excitante da actualidade.

Nick Cave & Warren Ellis – Carnage (2021)

Em Carnage, Nick Cave pega no discurso musical dos seus discos anteriores, mas recupera um pouco do perigoso selvagem do qual já tínhamos saudades.

Sweet Psychedelics – Sweet Psychedelics (2020)

Do Brasil chega-nos uma pérola de pop plácida e elegante, com a “nossa” Eugénia Melo e Castro.

Beautify Junkyards – Cosmorama (2021)

Quarta viagem cósmica de uma banda que soa cada vez mais segura do seu caminho.

Luta Livre – Técnicas de Combate (2021)

A Luta Livre, o histórico Luís Varatojo incentiva à revolução, mas cheio de swing e boa onda.

Clã: 25 anos na corda bamba

O longo e sempre interessante caminho dos Clã, uma banda que insiste em apaixonar-nos.

“Sexto Andar” – Clã

Esta canção , tão bonita, chegou alto, até um sexto andar, onde estava alguém que dela precisava.

Clã – Kazoo (1997)

Depois da boa surpresa do álbum de estreia, os Clã não deixam dúvidas com o sucessor, Kazoo, um registo mais assumidamente pop-rock e cheio de grandes hinos.

Jane Birkin – Oh! Pardon tu dormais… (2020)

Jane Birkin, uma das grandes damas da canção francesa faz o seu melhor disco em muitos anos.

Sleaford Mods – Spare Ribs (2021)

Spare Ribs é mais um tiro enérgico mas repetitivo dos Sleaford Mods, os tipos mais zangados do Reino Unido.

“A Escola” – Jorge Palma

Canção retirada de Bairro do Amor (1989), um dos melhores discos de Jorge Palma.