Tiago Freire
518 Articles3 Comments

O autor deste texto tem 39 anos mas um corpinho de 35. É jornalista há mais de 15 anos. É colaborador de vários blogs e parvoíces afins e já escreveu para a Blitz e para a FHM. Nasceu e cresceu em Carcavelos, fazendo aí o mestrado musical enquanto todos os seus amigos andavam de skate ou faziam surf. Hoje em dia, divide o seu tempo entre as notícias de Economia e a educação dos seus três filhos, enquanto o mundo não percebe que ele é o maior escritor vivo do planeta, coisa que terá inevitavelmente de acontecer. Na próxima encarnação desejaria ser uma mistura entre o Serge Gainsbourg e o Pablo Aimar.

“Walkabout” – Red Hot Chili Peppers

Um walkabout é, como todos os fãs de Crocodile Dundee sabem, um ritual de passagem para os jovens aborígenes australianos. O adolescente aventura-se sozinho pelo deserto, em busca da sobrevivência e de se conhecer a si próprio. “Walkabout” é também…

Red Hot Chili Peppers – The Red Hot Chili Peppers (1984)

Uns muito jovens Red Hot Chili Peppers anunciam-se ao mundo cheios de funk enérgico mas ainda sem as canções que fariam deles gigantes.

Os discos mais apetitosos do próximo Record Store Day

O Record Store Day de 2022 acontece a 23 de Abril, e é uma excelente oportunidade para voltarmos a visitar as nossas lojas de discos preferidas. Este foi, aliás, o espírito original da iniciativa, criada em 2007, que pretendia levar…

Fausto – Por Este Rio Acima (1982)

Tanto tempo depois, Por Este Rio Acima continua o que sempre foi, uma obra absolutamente incrível de um músico genial, no seu topo de forma.

José Afonso – Ao Vivo no Coliseu (1983)

A despedida de Zeca, já debilitado pela doença, dos palcos, numa noite de lágrimas e vozes ao alto.

“Grândola, Vila Morena” – José Afonso

O povo português, em forma de canção.

José Afonso – Coro dos Tribunais (1975)

O primeiro disco de Zeca após o 25 de Abril é um dos seus melhores, mesmo que tenha resistido à tentação de, a quente, servir de crónica aos dias da Revolução.

José Afonso – Eu Vou Ser Como a Toupeira (1972)

A casa de “A Morte Saiu à Rua” é um tratado de como ser político sem ser panfletário, num disco que continua fresco, lírico e incontornável.

Bob Marley – Exodus (1977)

Depois de o terem tentado matar, no final de 1976, Marley foge da Jamaica e refugia-se em Londres, onde grava talvez o melhor disco da sua incrível carreira. Em Dezembro de 1976, um grupo de bandidos entrou na casa de…

Silver Jews – The Natural Bridge (1996)

O segundo disco dos Silver Jews é o seu mais negro, nascido de mais uma crise emocional de David Berman Os Silver Jews começaram por ser um trio, na viragem dos anos 80 para a década seguinte. As figuras de…

David Bowie – Toy (2022)

O “álbum perdido” do ano 2000 é finalmente editado, trazendo-nos um Bowie feliz a dar novas roupagens a alguns dos seus temas de início da carreira No dia em que David Bowie faria 75 anos, é finalmente editado Toy, o…

Coldplay – Music of the Spheres (2021)

Em Music of the Spheres, os Coldplay atingem finalmente o pico do seu processo de infantilização e de estrelas do TikTok. Há poucas bandas mais conscientes do seu rumo e do seu papel na música popular do que os Coldplay.…

Sonic Youth – Experimental Jet Set, Trash and No Star (1994)

Os Sonic Youth afastam-se deliberadamente do mainstream, num belo disco que recupera algum do experimentalismo dos seus primeiros tempos A história de Experimental Jet Set, Trash and No Star começa a escrever-se muito antes, nos abrasivos e livres anos 80…

“Sweet Shine” – Sonic Youth

Canção que encerra o álbum Experimental Jet Set, Trash and No Star, de 1994, “Sweet Shine” (antes do final de ruído), dá-nos uma bonita, ainda que sempre inquietante, melodia. É uma música calma e narcotizada, que acaba como se fosse…

Sonic Youth – Dirty (1992)

Dirty é o disco no qual os Sonic Youth se iam vender e à custa do qual ficariam ricos. Nenhuma das coisas aconteceu. Em 1992, o mundo estava aparentemente no ponto para celebrar os Sonic Youth como a grande instituição…

2001: o indie-rock, de Nova Iorque para o mundo

O indie trouxe uma abertura do rock, longe da depressão sisuda do grunge e do purismo clássico. Um estilo capaz de integrar música de dança, tecnologia e electrónica, juntando elementos tão contraditórios como o espírito do punk e o brilho da pop.

Gossip – Standing In The Way Of Control (2006)

Com os Gossip, Beth Ditto torna-se numa deusa improvável, numa explosiva mistura de pós-punk com a dança.

The Black Keys – Delta Kream (2021)

O amor dos Black Keys aos blues, em 11 covers a tresandar, no bom sentido, ao delta do Mississippi Para onde ir quando já se foi mais longe do que alguma vez se havia imaginado? Esta é uma das questões…