Canção do dia

“Cálice” – Chico Buarque

Lemos Cálice, mas ouvimos Cale-se! A dualidade sonora desta palavra fez nascer uma das mais brilhantes canções de protesto da época do regime militar vividos no Brasil. Repleta de metáforas do primeiro ao último verso, a canção foi composta para o Festival Fonos de 1973, mas a figura imponente de um “Pai” que destrói as individualidades foi razão que chegue para cortarem o som aos microfones de Chico Buarque e Gilberto Gil, em plena apresentação de “Cálice” ao vivo.

Cinco anos depois, “Cálice” é editada para o disco homónimo de Chico Buarque, desta vez em dueto com Milton Nascimento, ainda em plena ditadura. A genialidade tem destas coisas, e quem ri por último, ri melhor… e cala os outros.

(nota: no final deste video temos o momento em que os microfones se calam no Festival Fones 73)