Carlos Lopes
482 Articles9 Comentários

O autor destas linhas tem já idade para ter (algum) juízo, e isso deve notar-se, assim o espero. Os seus gostos variam, como será fácil perceber. Para além da paixão pela música, o escriba deste texto é professor de Português e Literatura Portuguesa, e é assim que ganha a vida. Com a música ganha o céu, o que já não é pouco. Tem um blog há já seis anos (http://i-blog-your-pardon.blogspot.pt/) onde escreve alguma coisa para pouca gente ler.

NOS Primavera Sound 2019 – Dia 1

O NOS Primavera Sound começou com mau tempo. Pequenos dilúvios que em nada alteraram a vontade de assistir a ótimos concertos. Stereolab e Jarvis para uns, Solange e Danny Brown para outros. Foi grande a variedade.

Vem Aí Festival: NOS Primavera Sound 2019

O NOS Primavera Sound 2019 está já ao virar da esquina.

Kassin + Iguanas || Musicbox

Acima de qualquer outra coisa, a noite fez-se em ambiente de festa e de convívio entre amigos. A música e os concertos prestam-se a isso. Ainda bem que assim é. Ainda bem que estivemos presentes.

Harmonia – Deluxe (1975)

Revisitar Deluxe, dos alemães Harmonia, é sempre um grade acontecimento! O disco resume bem um certo tipo de krautrock feito nos anos 70 e continua a mostrar intactos todos os seus múltiplos predicados. É, na verdade, um luxo!

O Terno – < atrás/além > (2019)

Chama-se e em muito se parece a Recomeçar, primeiro disco a solo de Tim Bernardes, líder do grupo.

The Leisure Society – Arrivals & Departures (2019)

Arrivals & Departures é um disco que aterra bem (era inevitável a brincadeira do uso deste e dos seguintes termos com a imagem da capa).

“Remember Me” – Lour

“Remember Me” é um pedido tão bonito e particular: que sejamos recordados com carinho por aqueles que vão ficando incapazes de o fazer.

“Sangue Latino” – Secos & Molhados

Sem rodeios e sem exageros, “Sangue Latino” é uma das mais perfeitas canções da história da música popular brasileira.

The Flaming Lips – King’s Mouth: Music and Songs (2019)

King’s Mouth é uma belíssima metáfora sobre o que uma cabeça pode albergar. Como a de Wayne Coyne, por exemplo.

“Waitin’ For Superman” – The Flaming Lips

O mundo não anda bem, por isso era bom que o Super Homem viesse para nos ajudar a suportar os estado de coisas.

“Namoradinha de Um Amigo Meu” – Roberto Carlos

A música, muitas vezes, consegue dar-nos o que os homens tantas vezes nos tiram: o prazer e a liberdade!

João Gilberto – João Gilberto (1973)

João Gilberto foi sempre preferindo uma aproximação cada vez mais minimalista no que toca à execução da sua arte: a de fazer diamantes sonoros.

Playlist da Semana: We Have Nothing To Do With This

Se quiser experimentar, faça-o por sua conta e risco. Depois não diga que não avisámos. A meio, ou verá estrelas, ou precisará de um analgésico.

Secos & Molhados – Secos & Molhados (1973)

Bastou apenas este primeiro disco para os Secos & Molhados se colocarem eternamente no Olimpo da música popular brasileira.

Milton Nascimento – Minas (1975)

É um disco enorme, intrincado e esplendoroso como poucos. Um autêntico triunfo do Grupo de Minas, sempre com o bom Bituca no comando das operações.

Eumir Deodato – Prelude (1973)

Ouvir Prelude 46 anos depois do seu nascimento é uma obrigação e um prazer.

Morreu Scott Walker, o anjo negro que foi uma estrela cintilante nos anos 60

Chegou o dia fatal: the sun ain’t gonna shine anymore para Scott Walker. Aos 76 anos, a morte ceifou mais um dos grandes da música pop (num primeiro fôlego da sua carreira), mas também da música avant-guarde experimental dos seus…