Canção do dia

“Audrey’s Dance” – Angelo Badalamenti

A banda sonora de Twin Peaks mimica o ambiente que envolve a série (e a cidade fictícia) – lynchiano e, portanto, denso, misterioso, ora cómico, ora austero, com um toque de sex-appeal. “Audrey’s Dance” é, então, todas estas coisas: a percussão slow-paced e jazz-ish, juntamente com o estalar de dedos e os simples e vibrantes acordes do piano que compõem o esqueleto da canção, conferem-lhe o ar misterioso; quando se junta o órgão, o saxofone e o clarinete, cria-se a ambiência sexy dreamy. A imagem que vem à mente para os fãs da série poderá ser, talvez, a de Audrey, com o seu ar inocente, mas provocador, a dançar de olhos fechados enquanto outras personagens a observam com estranheza. Lynch indicou a Badalamenti o mood que queria transmitir e em que altura, e este criou músicas capazes, não só de acompanhar as emoções das personagens, mas também de agradar ao nosso mundo, fora de Twin Peaks.