Canção do dia

“Que Beleza” – Tim Maia

Sebastião virou Tim e foi com esse nome que ficou gravado na história. Já um grande vulto da música brasileira, foi nos anos 70 que Tim Maia descobriu a Cultura Racional, uma seita brasileira que inspirou o cantor brasileiro a abster-se dos vícios e de práticas impuras como o sexo ou comer carne vermelha e a lançar algumas das suas melhores obras. O encantamento pela seita que tanto influenciou a sua música durante um curto período da década de 70 depressa se dissipou, bem como o estilo de vida rigoroso que adoptou. Mas as canções ficaram.

Os discos Tim Maia Racional volumes 1 e 2 foram lançados pela Seroma, editora que Tim criou quando a RCA se recusou a editar as suas canções doutrinárias. Os discos foram um fracasso e foi o próprio cantor que, quando um ano mais tarde abandonou a seita, retirou a obra do mercado e destruiu todas as cópias que encontrou.

Os discos são agora valiosos objectos de coleccionador e as canções veneradas pelo público.

E esta é, provavelmente, a mais emblemática, não só dessa breve fase que tanto marcou a sua vida pessoal e a sua carreira, como também uma das mais influentes canções soul brasileiras. “Que Beleza” leva-nos num funk contagiante a dar uma volta às maravilhas do Universo. É um bonito sermão que nos convida à espiritualidade e tenta doutrinar-nos. E consegue, mesmo que não nos convença a aderir a uma seita manhosa, convence-nos certamente a apreciar a beleza em tudo o que nos rodeia.