Duarte Pinto Coelho
291 Articles0 Comments

Nascido a 28-12-1892, desde tenra idade se foi cultivando em mim o interesse pelas culturas indígenas de África. Aos 10 anos, acompanhei o meu pai numa expedição à Rodésia, onde pude contactar de perto com as tribos autóctones. Aprendi as suas maneiras, a sua relação com a divindade, o canibalismo ocasional para matar a fome, e o papel da música na preparação das batalhas. A minha pesquisa durou alguns anos, até ser atacado por uma tribo de mulheres carnívoras, que me deixaram sem uma perna, com várias cicatrizes e pouca vontade de continuar naquele continente. A adolescência e início de idade adulta foram passadas em comboios, visitando grande parte dos países do Médio Oriente e Ásia, dedicando os meus dias à fotografia de ambientes. Breves incursões pelos mundos da culinária e botânica, trouxeram-me aos dias de hoje, em que a maior parte do meu tempo se destina ao estudo e tratamento de animais raros das florestas tropicais. No meio disto, há sempre em som ambiente a Música, a tocar baixinho em gira discos, e a marcar o compasso das batidas cardíacas.

The Boyoyo Boys – Back in Town (1987)

Um álbum que custa 3 euros, numa loja, é mau. Não. Estava eu numa valentim de carvalho, quando a minha prima chamou a minha atenção para um cd que custava 3 euros, e que tinha na capa três sul-africanos com…

I’m From Barcelona – Who Killed Harry Houdini?

Cha la la – A Festa Continua Este ano de 2008 traz-nos o regresso dos I’m From Barcelona, que depois da apresentação surgem agora com Who Killed Harry Houdini?. Desta vez, o mentor Emanuel Lundgren tenta encontrar a resposta a…

Os Pontos Negros – Magnífico Material Inútil (2008)

Os Pontos Negros, que se estreiam em grande com Magnífico Material Inútil, surgem como uma lufada de ar fresco. Ainda bem que apareceram.