“The Book I Read” – Talking Heads

“Parei de ouvir David Byrne e seus compinchas nos anos 80 quando eles escolheram concentrar-se em fabricar pastiches funk yuppizados para brancos sem qualquer sentido de ritmo. Já esta (subestimada) canção do seu disco de estreia foi um dos meus temas favoritos de 1977.” (Nick Kent, “Apathy for the devil”, 2010)

Patti Smith – Horses (1975)

Por hábito não tenho grande pachorra para tretas metafísicas sobre o que é isso da arte. Proclamá-la como “transcendência ateia”, “redenção pagã” ou “sentido último de um mundo sem qualquer sentido” sempre me pareceu demasiado conveniente ao ego dos artistas…

Canção do Dia: Sonic Reducer – Dead Boys

O punk nasceu em Nova Iorque, nas sarjetas sujas do CBGB. Os Ramones foram os pioneiros mas rapidamente surgiram discípulos, nenhuns tão selvagens como os Dead Boys. O seu som cru e caótico, e as suas actuações anárquicas e demolidoras,…

Blondie – Blondie (1976)

Os Blondie foram a primeira paixão da minha vida, o primeiro amor auditivo e visual. A música, e quem a cantava, fizeram de mim o fã número zero da banda em Portugal. Nem sequer admitia que houvesse alguém mais conhecedor…

Bloodhound Gang – One Fierce Beer Coaster (1996)

“One Fierce Beer Coaster” é o segundo álbum, de longa duração, dos Bloodhound Gang, a banda que gostava de se auto-intitular como “a banda mais estúpida do planeta”. Não sei se são mesmo os mais estúpidos mas que estão próximos…

Television – Marquee Moon (1977)

Vamos começar por uma referência a um filme – em “Juno”, a dado momento, discute-se qual o melhor ano da música. Juno, a personagem principal, mostra como argumentos para defender 1977 os Stooges, a Patti Smith e os Runaways. Mas…

“Marquee Moon” – Television

Quem conhece, reconhece que foram uma das bandas mais influentes dos anos 70, especialmente na explosão do fenómeno punk nova-iorquino no final dessa década, do qual os Ramones, Blondie e Patti Smith são as caras mais visíveis e o (infelizmente…