Ricardo Romano
419 Articles0 Comentários

"Um bom disco justifica sempre os meios”- defendeu-se Ricardo Romano, ao ser acusado de ter vendido o rim esquerdo da sua tia entrevada para comprar uma edição rara do Led Zeppelin II - o melhor disco de sempre. O juiz não se convenceu, mandando-o para uma prisão com condições desumanas, onde uma vez foi obrigado a ouvir do princípio ao fim um disco do Neil Diamond. Actualmente em liberdade, cumpre pena de trabalho a favor da comunidade no site Altamont mas a proximidade com boas colecções de discos não augura nada de bom.

Canção do Dia: The Doors – Moonlight Drive

Venice Beach, Junho de 65. Jim Morrison e Ray Manzarek acabaram de se conhecer. Jim, que não sabe tocar nenhum instrumento, revela-lhe porém que tem um concerto de rock’n roll sempre a tocar na sua cabeça. Canta-lhe “Moonlight Drive”. Tinham…

Canção do Dia: Pearl Jam – Jeremy

No dia 8 de Janeiro de 1991 Jeremy Delle, um miúdo tristonho que nunca abria a boca para nada, abriu-a por fim numa aula de inglês, encostando o cano frio de um revólver contra o céu da boca e apertando o gatilho.…

Canção do Dia: Louis Armstrong – What a Wonderful World

Uma canção alegre e triste. Alegre no seu deslumbramento com a beleza do mundo. Triste porque para quem o canta, um Louis nos últimos anos da sua vida, há já a amargura de uma despedida.

“Serve The Servants” – Nirvana

Para alguém tão frágil como Cobain, o sucesso de Nevermind foi uma maldição: os moralistas indie acusavam-no de se ter vendido e os media sensacionalistas alimentavam-se do seu sangue. Em “Serve the Servants” desabafa:”Teenage angst has paid off well/Now I’m…

Canção do Dia: Billie Holiday – Strange Fruit

“A estranha fruta pendurada nos álamos” são norte-americanos de pele escura linchados por bestas racistas. E na voz sofrida de Billie ouvimos o sangue derramado…

Reportagem: Luísa Sobral || São Luiz

12 de Fevereiro, nove horas da noite. Não cabe nem mais uma alma no São Luiz. Está prestes a começar o concerto de apresentação do segundo álbum de Luísa Sobral There’s a Flower in My Bedroom. Começamos a ouvir os…

Canção do Dia: Charles Mingus – Goodbye Pork Pie Hat

Estávamos em 1959. Lester Young, uma espécie de avô do cool devido à suavidade e subtileza com que abordava o saxofone, tinha morrido há pouco. Mingus dedicou-lhe esta música, evocando o seu famigerado chapéu. Um grande homenageando outro grande.

Canção do Dia: Luísa Sobral – Não És Homem Para Mim

O que separa o bom do mau gosto? A resposta de Luísa Sobral é categórica: não é a canção em si – na sua letra e melodia – mas a forma como a embrulhamos. E para provar que tem razão,…

Canção do Dia: Mão Morta – Avô Cavernoso

O avô cavernoso é Salazar e para fintar a tonta censura nada como turvar a letra com palavras complicadas como “tonsura”, “matinadas” e “persignou-se”. Salazar e a censura já morreram mas os seus espectros ainda pairam sobre nós. Daí a pertinência…

Guta Naki – Perto Como (2014)

Quando ouvi pela primeira vez o nome Guta Naki pensei que se tratava de mais uma daquelas comidas japonesas esquisitas que se comem com gengibre e wasabi. Depois descobri que se tratava de uma banda mas continuava a imaginá-los de…

Canção do Dia: Neil Young – Hey Hey My My

Antes de Cobain encostar o cano da caçadeira à sua cabeça, escreveu uma carta de despedida. Acabava assim: “It’s better to burn out than to fade away”. A partir desse momento, a canção citada de Neil Young nunca mais seria a mesma.

Canção do Dia: Dead Kennedys – Nazi Punks Fuck Off

Em “Kill the Poor” Biafra propunha acabar com a pobreza com uma bomba de neutrões. Infelizmente, os punks nazis não perceberam a ironia, enchendo os concertos dos Dead Kennedys com as suas abjectas suásticas. Biafra sentiu então a necessidade de…

Canção do Dia: John Coltrane – Naima

Nesta balada encantadora Coltrane consegue a proeza de pôr o seu saxofone a falar: nas primeiras notas ouvimos perfeitamente as sílabas de “Naima”, a sua mulher de então. Alice Coltrane sempre detestou esta canção.

Canção do Dia: Rickie Lee Jones – Chuck E.’s In Love

Em 1979 Tom Waits, a sua miúda Ricky Lee Jones e o seu melhor amigo Chuck E. Weiss viviam juntos no decadente Tropicana Motel. Esta nasceu desses glory days de álcool, cocaína e auto-destruição. Até cair.

TAPE JUNk – The Good and The Mean (2013)

João Correia sofre de um estranho caso de múltiplas personalidades musicais. Às vezes acorda como discreto e competente baterista, correndo esbaforido de um lado para o outro para chegar a tempo das dezenas de concertos (e sessões de gravação) dos…

Marika Hackman – That Iron Taste (2013)

Deve ter havido nos anos 90 uma qualquer substância estranha a correr nas torneiras de Hampshire para lá terem nascido as duas meninas bonitas da nova folk inglesa: Laura Marling e Marika Hackman. As comparações devem ficar contudo por aí:…

Playlist da Semana: 27-01-2014

A minha geração – a do Cobain e das camisas de flanela – definiu o seu gosto musical por oposição ao som “superficial e empacotado” dos anos 80. Respeitávamos meia dúzia de bandas dos eighties (com os Joy Division e…

Monte Lunai – In Temporal (2009)

O pop rock anglo-saxónico, que tanta boa música nos dá, tem um antipático lado negro: é uma floresta de eucalipto que sorve airplay em demasia, secando tudo em seu redor. Mas toda a acção gera uma reacção (e todo o…