Canção do dia

“When It Rain” – Danny Brown

“When It Rain”, enquanto momento meta, acaba por ser um reflexo localizado do chorrilho de elementos constritivos na claustrofobia, quero dizer, discografia mais recente de Danny Brown, Atrocity Exhibition, seja pela vinculação mitigada ao cânone do rap e do hip-hop, seja pela inédita exuberância claustrofóbica — agora sim. Primeiro, a diluição dos raps e hip-hops pelo alastramento dos post-punks (olá, Joy Division); segundo, o aperto das paredes de som, a ansiedade do ritmo, a postura rap-over-anything de Brown, e simultaneamente a urgência cocainada dos vocais e dos sintetizadores. “When It Rain” exige atenções, distorce-as, pulula junto delas, feita uma trepidez esquizofrénica. É high-burn que contrai e reverbera a tensão, e há meia dúzia de momentos de soltura, por norma mediados por percussões mais tensas ainda; contudo, ainda que de tamanha densidade, a faixa agiliza-se, dinâmica e agressiva, sempre adiante, e aqui deixo uma vénia ao produtor, Paul White. Danny Brown é entusiasmo, um entusiasmo aterrorizador; “When It Rain” incorpora-o.