Listas

Top Discos 2014 – As escolhas da nossa redacção

Com o fim do ano chegam as listas de melhores do ano e o Altamont não foge à regra. Acabamos de publicar o nosso Top dos 25 álbuns preferidos deste ano, nacionais e estrangeiros. Essas listas resultam da soma dos resultados de cada membro da nossa equipa. Abaixo, as escolhas pessoais e o momento musical que mais marcou em 2014.

Alexandre Malhado
1) Have a Nice Life – The Unnatural Worlda3330461814_10
2) Sun Kill Moon – Benji
3) The Twilight Sad – Nobody Wants to be Here and Nobody Wants to Leave
4) Flying Lotus – You’re Dead!
5) Swans – To Be Kind
6) Norberto Lobo – Fornalha
7) Future Islands – Singles
8) Caribou – Our Love
9) Dean Blunt – Black Metal
10) Ought – More Than Any Other Day
Momento musical do ano: A oitava noite de Novembro, passada entre o Incógnito e tentativas de Fontória, terminou às 7h da manhã após a primeira audição integral, sem interrupções, do The Dark Side of the Moon. A experiência foi forçada por um ilustre indignado pelo meu pecado. Apesar de embriagado, a viagem sonora foi bastante sóbria.

Alexandre Costa Pereira
El-Pintor1) Interpol – El Pintor
2) Royal Blood – Royal Blood
3) Ty Segall – Manipulator
4) Future Islands – Singles
5) TV On The Radio – Seeds
6) The War on Drugs – Lost In The Dream
7) Beck – Morning Phase
8) Warpaint – Warpaint
9) Wild Beasts – Present Tense
10) Death From Above 1979 – The Physical World
Momento musical do ano:
Foi no Super Bock quando finalmente consegui ver duas bandas ao vivo que sou fã incondicional, os Metronomy e os Foals. Foram dois concertos inesquecíveis.

Alexandre Pires
1) Real Estate – AtlasAtlas_12Gatefold
2) Sun Kil Moon – Benji
3) Wildest Dreams – Wildest Dreams
4) Ty Segall – Manipulator
5) The War on Drugs – Lost In The Dream
6) Mac DeMarco – Salad Days
7) Parquet Courts – Sunbathing Animal
8) Thurston Moore – The Best Day
9) Thee Oh Sees – Drop
10) Angel Olsen – Burn Your Fire For No Witness
Momento musical do ano: A organização do primeiro concerto com chancela Altamont.pt. Era algo que já estava na agenda há algum tempo, e finalmente se concretizou, mostrando que o nosso caminho é só um – crescer!

Ana Isabel Dourado
run jewels1) Run The Jewels – Run The Jewels 2
2) Swans – To Be Kind
3) Grouper – Ruins
4) Have a Nice Life – The Unnatural World
5) Silver Mount Zion – Fuck Off Get Free We Pour Light On Everything
6) Clipping – CLPPNG
7) Wolves In The Throne Room – Celestite Mirror
8) Iceage – Plowing Into the Field of Love
9) Bruno Pernadas – How Can We Be Joyful in a World Full of Knowledge
10) Flying Lotus – You’re Dead!
Momento musical do ano:
Slowdive não era das bandas que eu esperava alguma vez ver ao vivo,  quanto mais tão cedo. Para a maioria, esta reunião adiou-se durante uns anitos. No entanto, essa demora pareceu nunca ter existido para quem assistia ao concerto no NOS Primavera Sound e o tempo parecia não ter passado pelo shoegaze.

André Sousa
1) Anathema – Distant Satellites
2) Kill it Kid – You Owe NothingAnathemadistantsatellitesalbumcoverartworkpackshotThrashHits
3) Foo Fighters – Sonic Highways
4) Syd Arthur – Sound Mirror
5) Royal Blood – Royal Blod
6) Bruce Sprinsgteen – High Hopes
7) Pink Floyd – The Endless River
8) The Ghost of a Saber Tooth Tiger – Midnight Sun
9) Roger Daltrey, Wilko Johnson – Going Back Home
10) The War on Drugs – Lost in the Dream
Momento musical do ano: A edição de um novo disco dos Pink Floyd…20 anos depois

António Maria Correia
1) Helms Alee – Sleepwalking Sailors
helms2) St. Vincent – St. Vincent
3) Cymbals Eat Guitars – LOSE
4) Ariel Pink – pom pom
5) Perfect Pussy – Say Yes to Love
6) Closure in Moscow – Pink Lemonade
7) Todd Terje – It’s Album Time
8) Taylor Swift – 1989
9) Aphex Twin – Syro
10) tUne-yArDs – Nikki Nack
Momento musical do ano:
Concerto de St. Vincent no Primavera Sound de Barcelona: 2014 foi quando prestei finalmente atenção a St. Vincent. Descobri-a num concerto de rock artístico e dramático, com canções de uma sofisticação extrema. Existe, em vídeo, no Youtube – mas, como todos os concertos gravados, só dá 70% dos arrepios que me deu em pessoa, em tempo real.

Beatriz Negreiros
1) BadBadNotGood – III
2) Goat – Communebadbadnotgood-500x500
3) Bruno Pernadas – How Can We Be Joyful in a World Full of Knowledge
4) Mac DeMarco – Salad Days
5) Tinariwen – Emmar
6) Moodoid – Le monde Moo
7) B Fachada – B Fachada
8) Sensible Soccers – 8
9) The Microscopic Septet – Manhattan Moonrise
10) Snarky Puppy – We Like It Here
Momento musical do ano: Era uma quinta-feira aparentemente normal quando recebi um telefonema a anunciar quase sem fôlego que nessa mesma noite Mac Demarco tocaria de graça a uma viagem de comboio e uns quantos passos da minha casa. Volvidas umas horas, estava sentada no fundo do Musicbox a engolir as melodias doces que ainda nem há dois dias tinha ouvido e desejado ardentemente ouvir novamente, após ver o personagem (que é, de facto) ao vivo em Paredes de Coura em Agosto. A vida é feita de imprevistos (e concertos) bonitos. Obrigada, Musicbox.

Beatriz Pinto
1) Mac DeMarco – Salad Days
Mac_DeMarco_Salad_Days2) The Horrors – Luminous
3) The War On Drugs – Lost In The Dream
4) Lykke Li – I Never Learn
5) Metronomy – Love Letters
6) Sensible Soccers – 8
7) Temples – Sun Structures
8) Sequin – Penelope
9) Capitão Fausto – Pesar o Sol
10) Thee Oh Sees – Drop
Momento musical do ano:
Slowdive no NOS Primavera Sound. No lusco-fusco, a banda entregou-se ao público, e nós deixámo-nos levar. Para além da óptima companhia, a realização de ver uma das minhas bandas de eleição tornam este um dos melhores concertos do ano, e um momento especial a recordar.

Carlos Lopes
1) Dylan Howe – Subterranean: New Designs On Bowie’s Berlin
2) Luke Haines – New York In The 70’sDylan Howe
3) Sr. Chinarro – Perspectiva Caballera
4) Tom Zé – Vira Lata Na Via Láctea
5) Moreno Veloso – Coisa Boa
6) Damon Albarn – Everyday Robots
7) Les Big Byrd – They Worshipped Cats
8) Camera – Remember I Was Carbon Dioxide
9) Beck – Morning Phase
10) Joan As Police Woman – The Classic
Momento Musical do Ano: O reencontro definitivo com o vinil, com as “rodelas pretas” da minha juventude. Desapareceram (ou quase) da minha vida, e com esse desaparecimento esqueci-me da alegria e do prazer de andar com discos debaixo do braço, do prazer e da alegria de os tirar das capas para os colocar no prato (com a delicadeza que devemos às coisas boas), dispostos ao jugo da agulha que lhes revela a alma. Essa alegria e esse prazer deixaram de ser nostálgicos, para se tornarem presentes, uma vez mais. E para todo o sempre, espero.

Carlos Simões
1- Mac Demarco – Salad Days
growlers chinese2- The Growlers – Chinese Fountain
3- St. Vincent – St. Vincent
4- Temples – Sun Structures
5- Ariel Pink – pom pom
6- Royal Blood – Royal Blood
7- Damon Albarn – Everyday Robots
8- Twin Peaks – Wild Onion
9- Drowners – Drowners
10- Zanibar Aliens – Zanibar Aliens I
Momento musical do ano:
Reunião dos The Libertines

Cátia Simões
1) The War On Drugs – Lost In The Dream
2) Sun Kil Moon – BenjiBenjisunkilmoon
3) Sharon Van Etten – Are We There
4) Ariel Pink – pom pom
5) Jungle – Jungle
6) Allah-Las – Worship the Sun
7) TV On The Radio – Seeds
8) Beck – Morning Phase
9) Wild Beasts – Present Tense
10) Chet Faker – Built On Glass
Momento musical do ano: Era o dia do concerto de Rolling Stones no Rock in Rio e a antecipação do que iria acontecer era enorme entre todos. Sabíamos que o Boss estava em Lisboa e já antecipávamos (ou desejávamos) uma participação especial durante o concerto. Mas quando Bruce Springsteen sobe ao palco para cantar «Tumbling Dice» parecia bom demais para ser verdade. Mas aconteceu mesmo e nós estivemos lá. Perfeito.

Diogo Andrade
1. The War on Drugs – Lost In The Dream
Columbia Records Leonard Cohen Popular Problems cover2. Future Islands – Singles
3. Leonard Cohen – Popular Problems
4. Sun Kill Moon – Benji
5. Hozier – Hozier
6. Jungle – Jungle
7. Caribou – Our Love
8. East India Youth – Total Strife Forever
9. Damon Albarn – Everyday Robots
10. Kindness – Otherness

Diogo Barreto
1) Gary Clark Jr. – Gary Clark Jr. Live
2) Robert Plant – Lullaby and… The Ceaseless Roargary clark live
3) Damon Albarn – Everyday Robots
4) Sun Kil Moon – Benji
5) Leonard Cohen – Popular Problems
6) Jimmy Greene – Beautiful Life
7) Thurston Moore – The Best Day
8) Benjamin Booker – Benjamin Booker
9) Tweedy – Tweedy
10) Keith Jarrett+Charlie Haden – Last Dance
Momento musical do ano: A fria noite nortenha foi rasgada, pelos deliciosos requintes sónicos produzidos pelos Godspeed You! Black Emperor, quando estes actuaram no palco ATP, no Primavera Sound. Entre aqueles que bebiam todas as notas que exalavam dos instrumentos e das almas dos GY!BE, encontrava-se este que vos escreve, estarrecido com o melhor momento musical do seu ano.

Diogo Lopes
1) Mac DeMarco – Salad Days
Future-Islands-Singles22) Future Islands – Singles
3) Sensible Soccers – 8
4) BadBadNotGood – III
5) Jungle – Jungle
6) Sun Kill Moon – Benji
7) Dead Combo – A Bunch of Meninos
8) Karen O – Crush Songs
9) Arca – Xen
10) Flying Lotus You’re Dead
Momento musical do ano:
Comigo embrulhado em Darkside, a sentir que o tempo tinha parado, o Parque da Cidade no Porto voltou a ser a moldura onde guardo o momento musical do ano. Simples, cerebral e belíssimo – este foi “o” concerto do ano.

Diogo Montenegro
1) Aphex Twin – Syro
2) Run The Jewels – Run The Jewels 2FINAL MASTER SYRO DIGIPAK.indd
3) Swans – To Be Kind
4) Iceage – Plowing Into the Field of Love
5) Real Estate – Altas
6) Todd Terje – It’s Album Time
7) Ariel Pink – pom pom
8) Temples – Sun Structures
9) Ty Segall – Manipulator
10) Bones – Rotten
Momento musical do ano: Embora a felicidade seja um propósito intangível, toquei-a de raspão, logo se safou dos dedos, logo me seduziu durante Arcade Fire. Foi o resto do ano obnóxio na pretensão de revigorar o gosto pela vida que aí conheci, na vã cobiça de reviver a balsâmica sensação de volatear pela Bela Vista.

Duarte Pinto Coelho
1) You Can’t Win, Charlie Brown – Diffraction, Refraction
2) Bruno Pernadas – How Can We Be Joyful in a World Full of Knowledge
ycwcb_diff-ref_Sq600px3) Capitão Fausto – Pesar o Sol
4) Sensible Soccers – 8
5) Sharon Van Etten – Are We There
6) Spoon – They Want My Soul
7) TV On The Radio – Seeds
8) Sharon Jones & The Dap Kings – Give The People What They Want
9) Ariel Pink – pom pom
10) B Fachada – B Fachada
Momento musical do ano:
Não foi um, foram três, mas em todos aconteceu o mesmo. Fui assaltado de surpresa, atropelado por um comboio, com música de que não estava à espera, pouco conhecia em disco e ao vivo fui totalmente arrebatado. Aconteceu com Godspeed You! Black Emperor (no Primavera), com Liars (no Lux/Black Balloon) e com King Gizzard & The Lizard Wizard (no Mexefest).

Francisco Fidalgo
1) Swans – To Be Kind
2) Dean Blunt – Black Metalswans
3) Camera – Remember I Was Carbon Dioxide
4) Fennesz – Bécs
5) Mono – The Last Dawn
6) Thurston Moore – The Best Day
7) Brian Eno+Karl Hyde – Someday World
8) Maybeshewill – Fair Youth
9) Fucked Up – Glass Boys
10) Future Islands – Singles
Momento musical do ano: A viagem que fiz ao Porto para ir ver Swans, no âmbito do festival Amplifest. Cheguei a Lisboa com um dos melhores concertos que vi em toda a minha vida, com um abraço do Gira e com um To Be Kind autografado para me levar de novo àquela sala escura do Hard Club. Este foi, sem dúvida, o ano dos Cisnes.

Francisco Marujo
1) The War on Drugs – Lost In The Dream
tinari2) Tinariwen – Emmar
3) Sensible Soccers – 8
4) Capitão Fausto – Pesar o Sol
5) Ty Segall – Manipulator
6) Thurston Moore – The Best Day
7) Morgan Delt – Morgan Delt
8) Bruno Pernadas – How Can We Be Joyful in a World Full of Knowledge
9) Gala Drop – II
10) Marissa Nadler – July
Momento musical do ano:
Os astros alinharam-se e trouxeram a Portugal a coqueluche do neo-psicadelismo, tendo também Portugal dado os primeiros grandes passos no género. Os nomes não caberiam aqui, mas não faltaram cérebros derretidos nem cultos aos mais variados deuses e seres, pelo país e festivais fora.

Francisco Pereira
1) Bruno Pernadas – How Can We Be Joyful in a World Full of Knowledge
2) The Growlers – Chinese Fountainbrunopernadas2014cd
3) Parquet Courts – Sunbathing Animal
4) Mac DeMarco – Salad Days
5) King Gizzard & The Lizard Wizard – I’m In Your Mind Fuzz
6) Damon Albarn – Everyday Robots
7) Capitão Fausto – Pesar o Sol
8) Jack White – Lazaretto
9) You Can’t Win, Charlie Brown – Diffraction, Refraction
10) Cloud Nothings – Here and Nowhere Else
Momento musical do ano: Rock In Rio. Sim, um festival comercial com Timberlake e Linkin Park é mau. Mas só no RiR é que havia possibilidade de ver Rolling Stones e com surpresas. Primeiro consegui ver Stones antes de morrer e depois aquele momento com Bruce Springsteen vai ser irrepetível e inesquecível. E Arcade Fire também foi gigante.

Filipe Garcia
1) The War on Drugs – Lost In The Dream
Lazaretto32) Sun Kil Moon – Benji
3) Beck – Morning Phase
4) Wildest Dreams – Wildest Dreams
5) Jack White – Lazaretto
6) Prince – Plectrum Electrum
7) Blues Pills – Blues Pills
8) Benjamin Booker – Benjamin Booker
9) Damon Albarn – Everyday Robots
10) Angel Olsen – Burn Your Fire For No Witness
Momento musical do ano:
Ninguém esquece o primeiro concerto de Arcade Fire. Confirmo. É em palco que mostram o verdadeiro génio. Confirmo. No Rock in Rio deram um concerto perfeito. Aplaudo. A maior banda do Mundo? Provavelmente. O momento do ano? Impossível. São vítimas de concorrência desleal – ao palco dos Rolling Stones subiu Springsteen.

Frederico Batista
1) The War on Drugs – Lost In The Dream
2) Ty Segall – Manipulatorwar
3) Temples – Sun Structures
4) Capitão Fausto – Pesar o Sol
5) The Ghost of a Saber Tooth Tiger – Midnight Sun
6) Mac DeMarco – Salad Days
7) Wildest Dreams – Wildest Dreams
8) Bruno Pernadas – How Can We Be Joyful in a World Full of Knowledge
9) Angel Olsen – Burn Your Fire For No Witness
10) Steve Gunn – Way Out Weather
Momento musical do ano: Por muito que me tenha agradado a nova vaga psicadélica que surgiu em força este ano, o que mais me aqueceu o coração foi o aparecimento em força, e em qualidade, da música nacional, seja cantada na língua de Camões ou noutra qualquer. Mostra que há muito talento a emergir e que há gente disposta a receber a música portuguesa outra vez. Ainda bem!

Gonçalo Correia
1) The War on Drugs – Lost In The Dream
pom pom2) Ariel Pink – pom pom
3) Ty Segall – Manipulator
4) Mac DeMarco – Salad Days
5) Kevin Morby – Still Life
6) Real Estate – Atlas
7) Steve Gunn – Way Out Weather
8) Tinariwen – Emmar
9) Angel Olsen – Burn Your Fire For No Witness
10) Thee Oh Sees – Drop
Momento musical do ano:
War on Drugs no NOS Alive. Não é um festival a que tenha ido com muita frequência em anos anteriores, e só uma das minhas bandas favoritas me levaria lá. Poder vê-los ao vivo era algo que queria fazer há muito e finalmente concretizou-se. Foi, por isso, um dos melhores dias do meu ano.

Joana Canela
1) Thurston Moore – The Best Day
2) Temples – Sun Structuresthurston-moore-the-best-day
3) Alt J – This Is All Yours
4) Capitão Fausto – Pesar o Sol
5) Bruno Pernadas – How Can We Be Joyful in a World Full of Knowledge
6) Ty Segall – Manipulator
7) King Gizzard & The Lizard Wizard – I’m In Your Mind Fuzz
8) Earth – Primitive and Deadly
9) Moodoid – Le Monde Moo
10) Allah-Las – Worship The Sun

Joana Raimundo
1) Ty Segal – Manipulator
tysegall_manipulator_0022) Petit Fantôme – Stave
3) Damon Albarn – Everyday Robots
4) Temples – Sun Structures
5) The Ghost of a Saber Tooth Tiger – Midnight Sun
6) Blues Pills – Blues Pills
7) Jack White – Lazaretto
8) Mourn – Mourn
9) Meatbodies – Meatbodies
10) Goat – Commune
Momento musical do ano:
Para mim, o grande momento deste ano foi o concerto de Ty Segall no Lux. Ouvir o Manipulator foi “amor à primeira vista” e o concerto anulou quaisquer dúvidas que pudessem existir. Foi um espectáculo enérgico, sempre a abrir e, se por um lado queria que durasse muito mais tempo, a verdade é que, quando terminou me sentia cansada. Fui bombardeada por uma boa dose de rock e adorei!

João Afonso
1) The War on Drugs – Lost In The Dream
2) Total Control – Typical Systemtotal control
3) Ty Segall – Manipulator
4) Beck – Morning Phase
5) Alex Cameron – Jumpng The Shark
6) Caribou – Our Love
7) Pure X – Angel
8) Protomartyr – Under Color Of Official Right
9) The Amazing Snakeheads – Amphetamine Ballads
10) The Acid – Liminal
Momento musical do ano: Quando ouvi a música Push The Sky Away, do Nick Cave, no sopé do Atlas. O dia estava mesmo a acabar. As nuvens da tempestade aproximavam-se a grande velocidade e chocavam contra a neve no pico mais alto da cordilheira- o monte Jbel Toubkal.

Liliana Monteiro
1) Sun Kill Moon – Benji
fka2) FKA Twigs – LP1
3) Wild Beasts – Present Tense
4) Sylvan Esso – City Slang
5) Glass Animals – Zaba
6) Damon Albarn – Everyday Robots
7) Future Islands – Singles
8) Jamie T – Carry On The Cruge
9) Ariel Pink – pom pom
10) Eno+Hyde – High Life

Luís Marujo
1) Mac DeMarco – Salad Days
2) The War on Drugs – Lost In The Dream11183_JKT
3) Ty Segall – Manipulator
4) Run The Jewels – Run The Jewels 2
5) Aphex Twin – Syro
6) Donovan Blanc – Donovan Blanc
7) Alex G – DSU
8) Homeshake – In The Shower
9) Ariel Pink – pom pom
10) Milo – A Toothpaste Suburb
Momento musical do ano: Dois concertos, um festival e um acontecimento à escala mundial marcam este ano: Ty Segall e Slowdive, um pela intensidade, outro pela beleza e pela importância especial que tem para mim; Paredes de Coura, o melhor festival nacional (dos que conheço); a explosão do psicadelismo ao nível nacional e internacional, que marca (?) o ínicio de uma época.

Mafalda Piteira de Barros
1) War on Drugs – Lost in the Dream
2) Sun Kill Moon – Benjidamon albarn robots
3) Beck – Morning Phase
4) Bruno Pernadas – How Can We Be Joyful In A World Full Of Knowledge
5) Wildest Dreams -Wildest Dreams
6) Damon Albarn – Everyday Robots
7) Jungle – Jungle
8) Jack White – Lazaretto
9 ) Sharon Van Etten – Are We There
10) Capicua – Sereia Louca
Momento Musical do ano: Fui ao céu e voltei quando vi o Boss subir ao palco para tocar com os Stones. Ponto. Fui ao céu e quase me esquecia de voltar quando dancei com Miss Sharon Jones & The Dap Kings em palco. Dois pontos. Batiam as últimas horas de um domingo frio e que costuma ser preguiçoso, mas aquela mulher, no auge dos seus 58 anos, fez-me saltar da cadeira. Estava feliz por estar ali connosco, depois de ter vencido um cancro (imagine-se) na garganta. Dancei com ela lá em cima e em pele de galinha. Voltei à terra de coração cheio.

Marta Reis
1) Sun Kil Moon – Benji
wildbeasts2) Wild Beasts – Present Tense
3) War on Drugs – Lost in the Dream
4) Sharon Van Etten – Are We There
5) Real Estate – Atlas
6) Jack White – Lazaretto
7) Damon Albarn – Everyday Robots
8) Sylvan Esso – Sylvan Esse
9) Gruff Rhyes – American Interior
19) Owen Pallett – In Conflict
Momento Musical:
Vodafone Paredes de Coura. Estreia absoluta. A expectativa era conhecer o festival, o espaço e ver sobretudo Beirut e Kurt Vile (e mais uma ou outra banda, tendo em conta que só fui no último dia). Alguma desilusão com Kurt Vile (como foi possível com músicas tão boas?) e uma rendição total a «Vagabond», de Beirut, com toda a sonoridade d o concerto a fazer um pairing perfeito com a beleza do espaço.

Patrícia Cuan
1) Sun Kil Moon – Benji
2) Bruno Pernadas – How Can We Be Joyful in a World Full of Knowledge
3) Mac DeMarco – Salad DaysAngel-Olsen-Burn-Your-Fire-For-No-Witness1
4) Ty Segall – Manipulator
5) Angel Olsen – Burn Your Fire For No Witness
6) Thurston Moore – The Best Day
7) The War on Drugs – Lost In The Dream
8) Damon Albarn – Everyday Robots
9) Sharon Van Etten – Are We There
10) Steve Gunn – Way Out Weather
Momento musical do ano: O melhor momento musical do ano foi quando Ty Segall pegou fogo ao Lux. Só quem lá esteve sabe do que falo.

Pedro Primo Figueiredo
1) Beck – Morning Phase
beck2) Perfume Genius – Too Bright
3) Capitão Fausto – Pesar o Sol
4) The War on Drugs – Lost In The Dream
5) Taylor Swift -1989
6) Ty Segall – Manipulator
7) TV On The Radio – Seeds
8) Sun Kill Moon – Benji
9) St. Vincent – St. Vincent
10) Lana Del Ray – Ultraviolence
Momento musical do ano:
Ver os Suede (banda da vida) a reinterpretar Dog Man Star (disco de sempre) a propósito dos seus 20 anos de edição. Em Londres, no mítico Royal Albert Hall. Ao vivo, duas décadas depois, eles cresceram, eu também. Não mudou a densidade destas canções, cresceu o arrepio na espinha com o passar dos anos.

Ricardo Romano
1) Bruno Pernadas – How Can We Be Joyful in a World Full of Knowledge
2) Sun Kil Moon – Benjikaren o
3) Damon Albarn – Everyday Robots
4) Karen O – Crush Songs
5) Temples – Sun Stuctures
6) Wildest Dreams – Wildest Dreams
7) Metronomy – Love Letters
8) Mac DeMarco – Salad Days
9) The Ghost of a Saber Tooth Tiger – Midnight Sun
10) Dead Combo – A Bunch of Meninos
Momento musical do ano: Lee Ranaldo, o guru da distorção, toca uma simples viola e o seu dedilhado ecoa cheio pela igreja de Saint Georges adentro. Epifania. Deus, fulano em que não acredito, pousa ao de leve nas suas cordas.

Susana Jaulino
1) Swans – To Be Kind
arca2) Arca – Xen
3) Sun Kil Moon – Benji
4) 68 – In Humor And Sadness
5) Flying Lotus – You’re Dead!
6) Cloudkicker – Little Histories
7) Have a Nice Life – The Unnatural World
8) Yob – Clearing the Path to Ascend
9) Liars – Mess
10) Alt J – This Is All Yours
Momento musical do ano:
Sem hesitações, o concerto do Kendrick Lamar no Primavera Sound. Cumplicidade com o público como não se viu este ano no Parque da Cidade e um concerto memorável, a chutar para canto os ditos cabeças de cartaz.

Tiago Freire
1) Wildest Dreams – Wildest Dreams
2) Bruno Pernadas, How Can We Be Joyful In A World Full Of Knowledge
3) Sun Kill Moon – Benjiwildest-dreams-selftitled
4) Sleaford Mods – Divide and Exit
5) Morrissey – World Peace Is None Of Your Business
6) Capicua – Sereia Louca
7) The War On Drugs – Lost In The Dream
8) 5-30 – 5-30
9) Sr. Chinarro – Perspectiva Caballera
10) Neil Young – Storytone
Momento musical do ano: O momento, ou os momentos, foram os passados em concertos. Este ano vi espectáculos inesquecíveis de Bill Callahan, Jacco Garner, Capicua, Rolling Stones, Arcade Fire ou Sharon Jones. Para quem nunca foi muito de concertos, este ano foi vasto e riquíssimo. Acima de todos os momentos, o dia passado com os nossos amigos brasileiros Boogarins, com direito a entrevista muito franca e calorosa e a um óptimo concerto nessa mesma noite.

Comentários (0)

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *