not 4/4

O Altamont leva-nos a uma viagem descomplexada aos diferentes ritmos que populam no mundo pop/rock.

A Place to Bury Strangers: a conversa que dura para sempre

Oliver, Dion e John falam connosco sobre concertos que não existiram, de azares, do génio de Emil Nikolaisen, de destruir salas e das bandas que APTBS escolhem como as mais intensas de sempre.

Os Pavement e o charme do desmazelo

O grande legado dos Pavement é mostrar-nos quanta beleza pode haver no inacabado, no desleixado, no descuidado. Como uma miúda gira acabada de acordar.

Mac McCaughan (Superchunk): a comédia como solução

Falámos de tudo: comida, angústia, dos Superchunk e Portastatic, e de muita comédia – como The Best Show e dos gostos pessoais do Mac, cuja relação com o humor é de grande proximidade.

Thurston Moore || ZdB no Lux

Há já algum tempo que não acordávamos no dia seguinte a um concerto com os zumbidos típicos de quem levou uma descarga rock na noite anterior. Obrigado, Thurston Moore.

Lee Ranaldo – Electric Trim (2017)

Electric Trim é um album incongruente em que não se percebe bem ao que vem Lee Ranaldo. Ligeiro e desinspirado, parece no entanto ter surgido de grandes ambições.

“Dirty Boots” – Sonic Youth

Canção do Dia: “Dirty Boots” – Sonic Youth

Thurston Moore – Rock N Roll Consciousness (2017)

Se com os Sonic Youth a estrutura das músicas frequentemente andava em torno da ideia Verse Chorus NOISE Verse, terminando mais ou menos como começou, Thurston Moore a preferir agora estruturar as músicas em segmentos de uma viagem que não precisa de retornar à origem.

Sonic Youth – Daydream Nation (1988)

Daydream Nation foi o álbum que fez unir uma nação de sonhadores à sua volta, a nação alternativa americana, cansados que estavam de anos de marginalização da juventude.

R.E.M. – New Adventures in Hi-Fi (1996)

New Adventures In Hi-Fi, de 1996, é de facto um álbum aventuroso, como o título sugere, mas sem grandes alterações drásticas no som base dos R.E.M. É uma aventura, sim, mas na forma como foi concebido e executado, para além de toda a bagagem emocional que carrega, fruto do sucesso global que entretanto a banda atingira.

R.E.M. – Monster (1994)

Michael Stipe decide ser actor e veste a pele de diferentes personagens, enquanto Buck arruma o bandolim e agarra de novo a guitarra elétrica. Assim nasceu Monster.

Cave Story – West (2016)

Quando se cresce numa cidade pequena, como Caldas da Rainha, onde não acontece absolutamente nada, só há duas alternativas: ou um tipo se acomoda à não existência cama-trabalho-sofá; ou um gajo reage, imergindo numa cultura indie de resistência, comendo EPs…

smartini – Liquid Peace [EP] (2016)

Liquid Peace é uma pequena mas poderosa bomba. Quatro temas, pouco mais de 20 minutos de um bom e velho rock sónico a tresandar aos anos 90.

DIIV – Is The Is Are (2016)

Em quatro anos muito muda: passa o secundário e parece que tudo começou há uma vida atrás. Para Zachary Cole Smith, em quatro anos passaram várias vidas. Depois de tocar em bandas como Darwin Deez ou Beach Fossils, Smith decidiu…

Jim O’Rourke – Simple Songs (2015)

Seguramente que a maioria dos que lêem o Altamont já se depararam com o nome Jim O’Rourke, assim como eu. É provável que – entre leitores e outros escribas Altamont – muitos o conheçam já, que é coisa que até…

Lê Almeida – Paraleloplasmos (2015)

Na atenção que dedicamos aos novos sons do rock contemporâneo brasileiro, já fomos a Paraty, já nos demorámos na gostosura microcósmica de Goiânia, chegamos agora ao Rio de Janeiro. Para vos falar de Lê Almeida, que acaba de lançar um disco…

Violent Femmes – Violent Femmes (1983)

Antes de conhecer a opressão amorosa vinda dos lados de Manchester, o Rock sónico da costa oeste americana ou a raiva alienante saída de Seattle, surgiu a banda perfeita para qualquer adolescente angustiado. Chamava-se Violent Femmes. Conheci os Violent Femmes…

Thurston Moore – The Best Day (2014)

Só agora que a pessoa mais cool do mundo é meu quase vizinho, frequentando os cafés e livrarias que frequentei, se assemelha a algo de mortal. Mas a primeira vez que ouvi o seu novo trabalho foi mesmo em Portugal,…

Criado em 2005, o Altamont é, no seu âmago, um lugar de união para quem gosta de música. Evoluindo e crescendo, mas sem perder a inocência e ingenuidade que lhe dá o seu lado mais verdadeiro, o Altamont tentará cumprir com o propósito que sempre lhe pautou o caminho – ser um local de descoberta e partilha para quem ainda tem tempo para ouvir um disco de uma ponta à outra.

Website: Hypnotic Digital Agency
Logo: Joana Ray

Mais lidos