Se Lennon passou, na altura, o cabo dos trabalhos por ter dito que os Beatles eram mais famosos do que Jesus Cristo, Cobain meteu-se num sarilho maior: tornou-se o próprio Cristo. Um Cristo apunkalhado, é certo, mas os cabelos louros compridos, os olhos tristes e uma crucificação com a devida quota-parte de culpa colectiva não deixam margem para dúvida.