Reportagens

Maiorga Indie 2017

Os franceses Les Synapses eram os cabeças de cartaz, mas foram os Plastic People que acabaram por roubar o protagonismo na segunda edição do Maiorga Indie. O festival levou cinco bandas de rock à pequena aldeia do concelho de Alcobaça para prolongar o legado da música naquela região.

Os Geek Daddies tiveram a sempre difícil tarefa de abrir uma noite de concertos. Sempre com boa disposição, o duo de garage rock transformado em trio, trouxe os filhos e restantes familiares e subiram ao palco naquele que foi, ainda, apenas o seu segundo concerto. Hugo Rilhó e João Araújo mostraram-se a um público ainda escasso mas que ficou agradado com o rock “nerd” destes pais.

Sem nada a perder e sempre a abrir, os Fuzzil aproveitaram o Maiorga Indie para apresentar o EP Molten π. O quarteto usa e abusa da distorção fuzz para criar uma mistura de várias sonoridades. A banda de Alcobaça protagonizou uma reta final do concerto em grande estilo, com destaque para um instrumental que fez as delícias das várias dezenas de pessoas que foram ouvir rock ao salão do Centro de Bem Estar Social da Maiorga.

A jogar em casa, e na ressaca de terem conquistado o concurso EDP Live Bands, os Plastic People mostraram todo o potencial do conjunto recentemente formado. Ainda com poucas faixas para degustar, mas com direito a encore, o quinteto alcobacense levou a melhor do público da Maiorga.

De fora, vieram os portistas The Japanese Girl e os franceses Les Synapses. Ambos trouxeram sonoridades mais psicadélicas. A banda do Porto traz, também, uns traços de garage rock para confirmar o protagonismo deste género na 2.ª edição do Maiorga Indie. Os The Japanese Girl ofereceram ao público um concerto muito intenso, lo-fi e, ao mesmo tempo, com muita qualidade.

Para o fim ficaram Les Synapses, banda mais experiente e que mais à vontade parecia estar em cima do palco do CBES da Maiorga. Ainda que com algumas barreiras linguísticas, o quinteto do rock psicadélico encerrou com chave de ouro o Maiorga Indie, evento que começa já a criar fortes laços com um público muito específico e fiel.

Este slideshow necessita de JavaScript.

texto João Neves
foto Joana R.

Próximo Artigo
Aerosmith || MEO Arena