Reportagens

Conjunto Corona || Musicbox

Demasiado gentis.

Assim chamou dB ao público que encheu o Musicbox na véspera do Dia da Liberdade. O mesmo pode ser dito de uma banda que trouxe os seus 3 álbuns quase na íntegra, feito raro que apenas pode agradar às dezenas de fãs que, do início ao fim, gritaram as letras criativas e irónicas do grupo nortenho.

A abrir com “CV”, o Conjunto Corona prosseguiu a sua despedida de Cimo de Vila Velvet Cantina (2016) – antes de editar o próximo disco – com os inebriantes temas “As Fufas do Pibx” e “Fruta da Ilha”. Homem do Robe, já um ícone dos concertos dos gaienses de meia e chinelo, desceu à plateia para um moche em “Chino no Olho”, canção plena de entusiasmo por parte do público que saltava e declamava sílaba a sílaba a letra. Depois de “Meio Crocodilo” chegava o momento do Homem do Robe continuar a sua relação com o público distribuindo copos de mítico hidromel pelas filas frontais ao som de “1/4 de Selo”, que abria o apetite para o tema “Bangla”. “Mafiando Bairro Adentro” aqueceu cordas vocais, “Noite de Natal em Cimo de Vila” aqueceu corações e em “Redenção na Igreja dos Grilos” fizeram-se rezas ao menino Jesus. A despedida final veio com a flauta mágica de “Trindade James”, mal o público sabendo que o concerto ainda ia a meio.

Rapidamente fomos de Cimo de Vila Velvet Cantina para o díptico Lo-Fi Hipster Sheat (2014) e Lo-Fi Hipster Trip (2015), altura em que o já entusiasmado público se viu renascido e fortalecido – efeito do hidromel? “Pontapé nas Costas” acordou um monstro até aí adormecido, incursando depois numa bela e intensa por “Pacotes”, “Corona 2.0”, “Bongo Bizarro”, “Já Não És O Meu Dealer”, “Motel California”, “O Real”, “Mão No Prato”, “#freecorona”, “Osso” (não tocada há mais de um ano) e, por fim, o ciclo a fechar-se com “Corona”.

Quando acabámos a viagem, era já madrugada de revolução e a liberdade sentia-se no suor dos corpos, na acutilância e promiscuidade das letras e na empatia e partilha entre público e músicos. Felizmente a despedida foi apenas simbólica e já hoje poderemos ouvir dB – no caso, David Bruno – a solo nas Damas (23h), em Lisboa, a apresentar o seu Último Tango em Mafamude, com novo disco de Conjunto Corona prometido para breve.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Fotos gentilmente cedidas por Ana Viotti.