Tiago Freire
357 Articles3 Comentários

O autor deste texto tem 39 anos mas um corpinho de 35. É jornalista há mais de 15 anos. É colaborador de vários blogs e parvoíces afins e já escreveu para a Blitz e para a FHM. Nasceu e cresceu em Carcavelos, fazendo aí o mestrado musical enquanto todos os seus amigos andavam de skate ou faziam surf. Hoje em dia, divide o seu tempo entre as notícias de Economia e a educação dos seus três filhos, enquanto o mundo não percebe que ele é o maior escritor vivo do planeta, coisa que terá inevitavelmente de acontecer. Na próxima encarnação desejaria ser uma mistura entre o Serge Gainsbourg e o Pablo Aimar.

Tom Waits – One From the Heart (1982)

Meus senhores, agora estamos em território sagrado. São tipos como estes que fazem que poias fumegantes como DZRT, U2 (sim, sim, ouviram bem!) e Miley Cyrus sejam proibidos de se intitularem músicos, sob pena de serem atirados de um penhasco…

No Ouvido: Grand Duchy – Let the People Speak (2012)

Quem me conhece bem sabe que tomei como missão evangelizar o mundo para as intermináveis virtudes de Mr. Frank Black aka Black Francis aka Charles Thompson aka o génio que criou e alimentou os Pixies. Não perco uma oportunidade para…

Pixies em Lisboa e com uma nova Kim no baixo

É um pouco inadmissível o melhor site de música de Portugal e arredores não ter dado nota dos últimos e estranhos desenvolvimentos de uma banda que, decerto, é muito querida de todos nós. A importância dos Pixies nunca foi devidamente…

Faith No More – Angel Dust (1992)

Não me recordo exactamente o ano em que ouvi o Angel Dust, dos Faith no More. Terá sido em 93 ou 94. Mas lembro-me muito bem das circunstâncias. Foi o meu amigo Zé quem mo mostrou. Nessa altura, pré-pré-pré-internet, a…

Serge Gainsbourg – Histoire de Melody Nelson (1971)

Em primeiro lugar, uma declaração de interesses: desde que conheci a sério a sua música, há coisa de quatro ou cinco anos, que vivo obcecado com Serge Gainsbourg. Comprei os discos todos, li livros, ouvi versões. Acho-o provavelmente o maior…

O Rappa – 7 Vezes (2008)

O Brasil deu ao mundo muita coisa. Entre muitas outras estão alguns dos melhores jogadores de futebol de sempre, grandes escritores, gajas boas e a música. E, falando de música, o Brasil é incontornável. Desde a bossa – que de…

Bill Evans Trio – Sunday At the Village Vanguard (1961)

Quero falar-vos de um dos primeiros álbuns de jazz que tive, e que acabou por servir como porta de entrada para esse mundo, estranho ao princípio, mas muito absorvente pouco depois. Falo de Sunday at the Village Vanguard, pelo Bill…

Led Zeppelin – Led Zeppelin II (1969)

1969. Os hippies estavam a dar as últimas, e o som inglês começava a tomar conta. Depois dos Beatles e dos Stones, uns anos antes, os sons mais pesados dos Led Zeppelin, Deep Purple e Black Sabbath começavam a anunciar…

Altamont Entrevista: Mazgani

Esta não é uma entrevista igual às outras. Há uns 18 anos, conheci o Shahryar Mazgani quando calhámos na mesma turma, no curso de Direito. Juntámo-nos pelo mais prosaico dos motivos: ele era o iraniano, e eu o único tipo…

Pulp – Different Class (1995)

E aqui, meus amigos, entramos em território quase sagrado. Falamos dos Pulp, essa banda que, durante anos, foi a banda preferida de qualquer gajo que não podia com os U2 e torcia o nariz aos boçais (se bem que não…

Christopher Owens – Lysandre (2013)

Há algo acerca de Christopher Owens. Ainda não tem 35 anos, mas a sua vida dava mais que um filme. Nasceu em 1979, em Miami, no seio de uma família radicada no culto fundamentalista “Children of God”. Aos três anos…

Playlist da Semana: 29-04-2013

O frio ainda chateia mas o sol já reina. A nova playlist procura o cheiro do Oeste, com poucos índios, alguns cowboys, camionistas e corações destroçados. Uma viagem alternativa pela Route 66, com banda sonora do Altamont.

Mad Season – Above (1995)

18 anos é muito tempo na vida de uma pessoa. Há 18 anos, a bomba grunge havia já explodido; Cobain havia morrido um ano antes; os Pearl Jam tinham como última proposta “Vitalogy”, um disco que procurava caminhos para lá…

The Doors – In Concert (1991)

Ouvi este disco no outro dia, pela primeira vez em mais de cinco anos. Ao escutá-lo de uma ponta à outra, tudo veio de repente. O tempo em que o conheci, quando o comprei, os anos que me acompanhou, tudo…

A Bíblia dos Smiths (ok, e do Morrissey)

Os The Smiths, como toda a gente sã sabe, foram a melhor banda dos anos 80, taco a taco com os Pixies. Para mim, com os meus 35 anos feitos há dias, chegaram e foram-se cedo demais. Quando existiam, eu…