Pedro Silva
15 Articles0 Comentários

The Kinks – Are The Village Green Preservation Society (1968)

Os Kinks num registo em que, podemos afirmá-lo, a transcendência supera a imanência.

Sex Pistols – Never Mind The Bollocks, Here’s The Sex Pistols (1977)

A ideia de tudo apagar, de demolir as próprias ruínas para recomeçar do zero, para pensar e construir de maneira totalmente nova foi o leitmotiv que guiou o conjunto inglês.

The Stooges – Fun House (1970)

Morram os Hippies, Morram! PIM!
A pré-história do Punk, na voz de Iggy e os seus comparsas.

“Carnage Carnaval” – Les Tigres du Futur

Canção do Dia: “Carnage Carnaval” – Les Tigres du Futur

“London, London” – Caetano Veloso

Canção do Dia: “London, London” – Caetano Veloso

“April in Paris (Take 6)” – Thelonious Monk

Canção do Dia: “April in Paris (Take 6)” – Thelonious Monk

Playlist da Semana: It’s Only Rock n’ Roll

Playlist da Semana: It’s Only Rock n’ Roll

“Dirty Boots” – Sonic Youth

Canção do Dia: “Dirty Boots” – Sonic Youth

“From Her to Eternity” – Nick Cave & The Bad Seeds

Canção do Dia: “From Her to Eternity” – Nick Cave & The Bad Seeds

Patto – Patto (1970)

O experimentalismo cromogénico dos Patto, numa época de profundas transformações na Arte ou como-a-arte-pode-ser-de-todos-e-ainda-assim-ser-sofisticada.

R.E.M. – Green (1988)

Um dia antes da chegada de George Bush à Casa Branca, os R.E.M começam a sua oposição com um registo que irá moldar a sua entrada na década de 90.

King Gizzard & The Lizard Wizard – Flying Microtonal Banana (2017)

Devemos sempre celebrar quando, no ano de 2017, mais de meio século após o nascimento do Rock’n’Roll, o estilo continua a fascinar novas gerações de músicos.

Deep Purple – Made in Japan (1972)

Um dos mais gloriosos registos ao vivo da história do rock n’ roll. A saga dos Deep Purple no país do sol nascente.

PJ Harvey – Dry (1992)

Disco de estreia de PJ Harvey que, no início da década de 90, institucionalizou as camisas de flanela e estilhaçou a pop suburbana.

Tom Waits – The Heart of Saturday Night (1974)

Segundo registo fonográfico de Tom Waits, com a chancela da Azylum Records. Pot-pourri estilístico com Glenfiddich e Lucky Strike à mistura. Comme il faut!