Canção do dia

“Answers Me” – Arthur Russell

Quando o ritmo não vem de ritmo nenhum, quando o silêncio toma o tempo, quando os pedaços esboroados da melodia exigem primazia, coisas destas acontecem. Se o virtuosismo de Russell é o do domínio do vazio, “Answers Me” é-lhe a materialização. A postura da música é negativa, um jogo macabro de inexistência e in-significação; no fundo, um atestar céptico de que o todo é maior do que a soma das partes. 1+1 não é 2 aqui; aliás, em somando, somar-se-ia o negativo, havia de chegar a um ponto em que se derivasse isto tudo, pis e nepers e o raio que o parta — fora esta digressão, da tangibilidade se apropria o todo, as partes flutuam, fogem, contraem-se, acercam-se, ludibriam e seduzem, afiguram cada inflexão do fluxo de consciência de Russell, e de repente a música acaba. O world of echo vive a mais dinâmica existência em dois minutos e quase meio, fugido da estabilização e do significado, embora significante por essência.